21 de abr de 2010

Usina de fraude das multas no Acre

Ciatran homenageia guardas que mais multam com foto no mural, folgas e bônus no salário


Não é boato e nem intriga da oposição. Existe mesmo dentro da Companhia de Trânsito do Acre uma campanha para incentivar os policiais de trânsito a multarem sem dó nem piedade. A prova do crime estão estampada no corredor principal da companhia, onde num quadro chamado de mural, está expostas as fotos de dois miliatares, em moldura, parabenizando-os pelos excessos de multas aplicadas no mês de Março.

A denúncia partiu de um oficial que não quis ter o nome revelado. Garante ele que existe uma meta mensal a ser cumprida (em torno de no mínimo 50 multas mensal) para cada agente de trânsito. O oficial alerta que qualquer deslize do motorista é falta grave e a multa quanto mais pesada for, soma mais pontos para o agente que tiver aplicado a infração. Ele conta também, que os agentes que se destacam são agraciados com prêmios, bônus no salário e até folgas remuneradas.

A história é antiga. A máfia e a indústria das multas inicia cedo, se aprende na escola antes de entrar efetivamente na coorporação. Em abril deste ano o ac24horas contou a história de alunos do curso de formação da PM, que são pressionados a aplicar multas, como se a conduta duvidosa fosse parte do curso, para quem vai ser responsável pela vida e a segurança do povo.

Como o oficial que fez a denúncia preferiu não ter o nome revelado, a reportagem de ac24horas foi conferir na Ciatran e para nossa surpresa, embora fossemos impedidos de fazer qualquer fotografia, pudemos constatar as duas molduras dos dois “agentes modelo” no mural de honra da Ciatran. Na foto consta ainda um gráfico mês a mês de como foi o rendimento e aproveitamento de cada policial e ainda com os dizeres “Honra ao Mérito”.
Os dois “melhores agentes” do mês de março foram; o Sargento PM Bertê, com índice de aproveitamento de 79 infrações e abordagens realizadas nas ruas, e o Sargento PM Alves França, com nada menos que 2.843 autos de infração e abordagem feitas no trânsito da capital acreana.

Segundo o comandante da Ciatran, Major Luciano Dias Fonseca, o gráfico não se refere somente as infrações e que todo comportamento do agente é contabilizado alí. Segundo ainda o comandante que negou as denúncias, “de fato uma portaria foi criada pela companhia de trânsito para homenagear os destaques operacionais do mês e que não existe nenhuma determinação para que os agentes apliquem multas”. E acrescenta: “essa denúncia só pode ter saído de um funcionário que não veste a camisa da Ciatran e que jamais vai receber tal homenagem”, respondeu, esquecendo ele que as homenagens no mural aos dois militares era a prova do crime.
Perguntado porque não poderíamos registrar as fotos dos agentes homenageados no mural da Ciatran, o major foi direto: “não podemos expor a imagem de ninguém assim sem o seu consentimento”.

Questionado ainda se haveria motivos para esconder uma foto quando essa se trata de honra pelos serviços prestados à sociedade, o major disse que “são pessoas de bem e que apenas cumprem o seu papel de bom servidor público ajudando a sociedade e não existe esse interesse de nossa parte divulgar tais homenagens”.

A nossa reportagem procurou ainda o diretor do Departamento de Trânsito do Acre – DETRAN -, Reginaldo Prates, para falar se existe uma parceria com a Companhia de Trânsito para arrecadar dinheiro com multas e infrações, o que foi negado por ele. Segundo Prates, “o que existe são motoristas que não respeitam as leis de trânsito e que infelizmente ou felizmente existe os agentes para controlar as infrações e garantir a segurança da sociedade. Nós não temos nenhum interesse em multar ninguém. O que queremos é um trânsito tranqüilo, sem infrações e sem vítimas. As portas do Detran estão abertas, assim como todas as nossas contas. O dinheiro arrecadado com as multas é todo investido em engenharia e educação de trânsito”, garantiu ele.

Pegando por base as denúncias feitas e numa conta simples, e de que as infrações mais cometidas, segundo o Detran são por estacionar em local proibido, custando ao bolso do motorista infrator R$ 85,00, com perda ainda de 4 pontos na certeira, a equipe de ac24horas chegou a conclusão de que somente o sargento PM homenageado Alves França, pode ter rendido aos cofres da autarquia [somente no mês de março] R$ 251.655,00. Só ele, o sargento Alves França também aumentou as estatísticas dos infratores em 11.372 pontos.