22 de nov de 2011

Petecão é preso com 2kg de maconha em sena Madureira



A Policia Militar do Acre, no município de Sena Madureira, [cidade distante 154 quilômetros da capital acriana], conseguiu prender no final da tarde de ontem 21, o ex presidiário,  Antonio Silva das Chagas, mais conhecido pela alcunha de Petecão, com 2 quilos de maconha dentro de uma mochila.

Petecão, que já é velho  conhecido da policia e  já cumpriu pena por tráfico de drogas, foi encaminhado ao presídio municipal daquela cidade na manhã desta terça-feira 22, onde deverá cumprir sentença pela crime de tráfico.

Vendo o cisco no OLHO alheio sem perceber a estaca no seu próprio

Opinião

A lamentável atitude de um participante gay bêbado, durante a Parada LGBT realizado no último domingo 20, fotografado em ato obsceno com outro parceiro, foi o combustível perfeito para os recalcados e homofobicos deputados da bancada evangélica na Assembléia Legislativa do Acre, nesta terça-feira 22, durante a sessão.

A meu ver, nossos “nobres parlamentares moralistas", pautados sempre pela opinião midiática e a falácia do que gera mais comentários nas rede sociais na internet para aparecerem, esquecem a real missão para qual foram eleitos; CRIAR PROJJETOS E DEFENDER OS INTERESSES DO POVO DO ACRE.

Sem atitude ou a mínima postura parlamentar, nossos eleitos deputados, quando não se apelidam a si próprios de vagabundos, puxa-sacos, mentiroso e ladrões, formam da tribuna daquele poder, uma ágora inquisitória para crucificar um único homem travestido e ainda por cima embriagado, na vã tentativa de mudar o mundo com suas estórias em nome da tal moralidade, enquanto eles próprios estampam as manchetes dos jornais como defensores de quem saqueia os cofres públicos em nome de uma minoria, sem pensar no pão de amanhã de quem não tem nem para comer no dia de hoje e ainda  escravizam a esperança mortificando a nossa liberdade.

Não sou gay e muito menos carrego em mim qualquer forma ou tipo de preconceito. Contudo,  o que mais me envergonha e me entristece, é ver que nossa sociedade caminha a passos largos, guiados por cegos engravatados e que esses ao invés de estender a mão ao próximo, só conseguem alcançam a altura de seus próprio bolsos.

A atitude isolada de um membro de uma minoria que luta por igualdade, em um evento que acontece apenas uma vez por ano, mais deveria ser notada de terça a quinta-feira de cada semana, quando um grupo de funcionários do povo literalmente rasga o pouco que ainda resta da nossa Constituição Brasileira e mistificam a honra que a cada dia vem se tornando uma palavra ainda mais esquecida.

Escrito por Salomão Matos