25 de fev de 2012

Nível do rio Acre baixa mais de 4m em Xapurí mas na capital sobe mais 0,01cm

A leitura realizada as 6h da manhã deste sábado (25) pela Defesa Civil Estadual no Acre, aponta que o nível do rio Acre subiu mais 0,01cm, marcando em sua calha mais profunda esta manhã 17,58m, faltando somente 0,08cm para alcançar a marca histórica registrada no ano de 1.997, quando o nível do rio atingiu a marca de 17,66m.

A boa notícia vem do interior nas cabeceiras por onde o rio Acre passa. Em Xapurí por exemplo, o volume de água do rio Acre baixou mais de 4m nas últimas 24 horas  e naquela cidade, o nível do rio que marcava até ontem 15,26m agora mede somente 11,16m, saindo da situação de risco de nova enchente.

24 de fev de 2012

Sinístro

Funcionário público que estava trabalhando como voluntário na alagação de Rio Branco morre eletrocutado na 6 de Agosto

Um voluntário que auxiliava as vítimas da enchente do rio Acre, na região do bairro Seis de Agosto em Rio Branco, morreu eletrocutado e um outro ficou gravemente ferido no final da manhã desta sexta-feira (24).
O acidente, segundo a reportagem conseguiu apurar, aconteceu depois que a companhia elétrica desligou o sistema de distribuição para evitar acidentes, mas alguns moradores, a revelia, improvisaram uma rede clandestina com rabichos que serviram como condutor de energia no local onde o voluntário distribuía cestas básicas.
O funcionário público estadual foi identificado como sendo Alan Moreira. Ele era lotado no Deracre.

Marcus Alexandre lamenta pelo twitter morte de funcionário que trabalhava como voluntário

O diretor do Departamento de Estradas e Rodagens do Acre- Deracre, Marcus Alexandre, lamentou agora a pouco pelo twiiter, a morte do funcionário público lotado naquele órgão, Alan Moreia, que trabalhava como voluntário no auxilio as vítima das enchente e que morreu eletrocutado quando distribuía cestas básicas na região do bairro Seis de Agosto, no Segundo Distrito de Rio Branco.
Nas suas palavras Marcus Alexandre no twitter, disse que “acabamos de sair do local do acidente e seguimos ao IML. Que Deus possa confortar a família neste momento”.

Tião Viana "O pai de todos os projetos"

Depois de adotar projeto de Tijolinho como filho caçula, Tião Viana abraça projeto de Bocalom como  fosse seu primogênito

Depois de adotar como filho caçula o programa de tijolamento de todas as ruas do Acre, [programa de governo esse criado pelo então candidato do PRTB Antônio Gouveia, que o tornou conhecido por (TIJOLINHO)], o governador do Acre Tião Viana (PT), com anuncio na manhã desta sexta-feira (24), sobre a construção do projeto Cidades do Povo, para abrigar as famílias alagadas pela enchente do rio Acre, mais uma vez se apodera do também programa do pré candidato tucano, Tião Bocalom (PSDB), quando anunciava à época das eleições, caso eleito fosse,  construir o Bairro da Liberdade para famílias carentes que residem em áreas consideradas de risco tanto na capital quanto no interior do estado.

Ainda durante as propostas de campanha para o governo nas eleições, Bocalom chegou a ser chamado de insano e lunático pelos seus opositores, tendo em vista diziam seus adversários, governar uma simples cidadezinha do interior, se referindo a Acrelândia, da qual Bocalom foi prefeito por dois mandatos, era muito diferente e ele não tinha a mínima noção de como governar um estado inteiro

“O projeto de Tão Viana”, foi apresentado hoje aos ministros Fernando Bezerra e Aguinaldo Ribeiro como a fórmula mágica para acabar de vez com o problema da enchente no estado, que vem a cada ano desabrigando milhares famílias.

 Os senadores Sérgio Petecão (PSD), Jorge Viana (PT) e Aníbal Diniz (PT) também puderam conhecer de perto a solução considerada definitiva para resolver o problema dos desabrigados pelas enchentes no Acre.

23 de fev de 2012

Luiz Calixto diz que alagados vivem na invisibilidade da arrogância do governo

Anonimamente e sempre fugindo das lentes dos repórteres para não parecer estar querendo tirar proveito político,  o pré- candidato a prefeito de Rio Branco Luiz Calixto, praticamente montou acampamento nos bairros da parte baixa da cidade e sua rotina desde que o rio Acre alcançou a cota de transbordamento tem sido literalmente com os pés na água ou dentro de embarcações  rio abaixo rio acima ajudando as famílias desabrigadas pelo manancial.

Natural de Tarauacá onde desde pequeno é acostumado a manobrar pequenas embarcações pelo rio Murú, quem não conhece esse lado prático do ex parlamentar fica impressionado com sua habilidade ao remo seja nas ruas alagadas ou mesmo no  leito profundo do rio completamente alagado .

Sem querer dar entrevistas, Calixto pediu a nossa reportagem que não o fotografasse , explicando que o momento não era de aparecer. “Quem deve ser fotografado são essas pessoas anônimas que vivem na invisibilidade da arrogância do nosso governo. Estou aqui como mero cidadão comum como tantos outros solidário a essa gente. O momento serve de reflexão para que os futuros governos acordem e fiquem sabendo que aqui nessas áreas de risco moram seres humanos” desabafou  Calixto remando para fora dos alcance de nossas lentes.

Enchente

Ministro da Integração Nacional vem ao Acre nesta sexta-feira

O ministro da Integração Nacional, Fernando Bezerra, vem ao Acre nesta sexta-feira, 24, para acompanhar a situação da enchente dos rios, que já atinge mais de 65 mil pessoas em nove cidades. O ministro deverá sobrevoar áreas alagadas junto com o governador Tião Viana e o chefe da Defesa Civil Nacional, Armin Braun. Há 16.798 pessoas alojadas em abrigos públicos, 5.551 somente na capital Rio Branco. No boletim divulgado ao meio-dia pela Defesa Civil, o nível do Rio Acre manteve a medida de 17,50 metros, a mesma verificada às 9 horas de hoje.

Todo o trabalho de prestação de socorro à população das áreas urbanas e rurais e que está nas comunidades indígenas e ribeirinhas é desenvolvido em parceria entre as prefeituras, governo do Estado e governo federal. Exército, Aeronáutica, Força Nacional, servidores públicos e voluntários ajudam na retirada de famílias das regiões alagadas. Três aeronaves (um avião Hércules da FAB e dois helicópteros) percorrem os municípios levando mantimentos e remédios. A presidente Dilma Rousseff anunciou a liberação de R$ 1 milhão, que será usado para a compra de alimentos, água potável, produtos de higiene e limpeza.

Além dos municípios do vale do Rio Acre (Assis Brasil, Xapuri, Brasileia, Epitaciolândia, Porto Acre e Rio Branco), estão sendo afetados pelas enchentes as cidades de Cruzeiro do Sul, banhada pelo Rio Juruá; Santa Rosa do Purus e Manoel Urbano, pelo Rio Purus; e Sena Madureira, pelo Rio Iaco. Na desembocadura do Rio Acre, já em Boca do Acre (AM), a água está fluindo desde ontem quando o Rio Purus começou a baixar, evitando o represamento.

A Secretaria de Educação de Rio Branco atualizou na manhã desta quinta-feira, 23, o número de escolas fechadas por conta da cheia do Rio Acre e seus afluentes.  Já são 15 escolas atingidas, sendo duas rurais, totalizando 3.351 alunos afetados pela alagação. As escolas não atingidas funcionam normalmente nas redes estadual e municipal. A  prefeitura de Rio Branco optou por  não decretar  ponto facultativo.

O governo do Acre decretou ponto facultativo nesta quinta-feira e somente órgãos públicos e serviços essenciais das áreas de saúde, segurança e educação estão funcionando. No balanço de hoje, a Secretaria de Educação do Estado contabilizou 20 escolas urbanas e uma rural atingidas pela enchente do Rio Acre. As aulas foram suspensas também nas unidades de ensino administradas pelo município de Rio Branco, onde estudam mais de três mil alunos.

Isolados pela enchente do rio Acre usam sinais de fumaça e panos brancos para pedir ajuda aérea

Depois dos apelos pela Rádio Difusora Acreana na manhã desta quinta-feira (23), via telefone, um grupo de pelo menos 50 famílias que encontravam-se isolados pela enchente do rio Acre no seringal Capatará, [região do Projeto de Assentamento Benfica], foram avistados pela tripulação do helicóptero da Força Nacional de Segurança, que sobrevoava o perímetro na esperança de localizá-los levando alimentos e água potável.
Segundo informações preliminares, o contato visual só foi possível, depois que os moradores isolados pela enchente conseguiram por meio de sinais de fumaça e com aceno de panos brancos serem percebidos pela tripulação do helicóptero.

Isolados pela enchente, 50 famílias passam fome e sede no seringal Capatará, no Acre

Por telefone, um grupo de pelo menos 50 famílias que encontra-se isoladas pela enchente do rio Acre no seringal Capatará, [região do projeto de assentamento Benfica], pediu ajuda através da Rádio Difusora Acreana às autoridades para que possam ir até a localidade e auxiliá-los no resgate ou levar água potável e alimentos, tendo em vista as plantações foram perdida com a cheia do rio e não dispõe de absolutamente nada para beber ou se alimentarem.

Dado as péssimas condições do sinal de telefonia, apenas foi possível entender que ao todo são famílias assentadas pelo Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária INCRA e que vivem naquela região e estão precisando de toda ajuda possível.
Preocupado com a  situação das famílias  e a  perda do sinal de telefonia que caiu, o apresentador do programa Gente em Debate, Washington Aquino, apelava para que o morador do seringal que fez contato ligasse novamente e disponibilizou o seu número pessoal de celular 8418 7161 para que possa ser possível saber a localização exata onde as famílias encontram-se isolados e ser possível fazer o resgate pela Defesa Civil Estadual.
Em seguida o apresentador informou que a Defesa Civil irá levar mantimentos e água através de um helicóptero.
Na zona rural a enchente é mais dramática por causa do isolamento que há em função da falta de comunicação e de acesso terrestre.

Membro do esquadrão da morte apela na justiça para não perder patente de militar no Acre

Consta na pauta de julgamento desta quinta-feira (23),  o  julgamento de apelação do réu Manoel Maria Lopes, (O coroinha), preso  acusado de  ser o braço forte e o homem de confiança do ex coronel da PM no Acre, Hildebrando Pascoal,  acusado de ser o chefe do Esquadrão da Morte no Acre na década de 90.
No processo Nº 0001051-62.2011.8.01.0000, Coroinha que é policial militar, é acusado pelo Ministério Público de ser um dos responsáveis pelo seqüestro de Clerisnar Alves, esposa de Agilson Firmino (Baihano), assassinado a golpes de motosserra , e apela para não perder  sua patente da corporação da PMAC.

22 de fev de 2012

Deu na Veja

Tião Viana, do PT, usa balas de borracha, gás de pimenta e bombas democráticas de efeito moral para conter reacionários disfarçados de pobres no Acre. Desde Canudos, a gente sabe que miserável precisa aprender a ser progressista

Já que a Dilma Rousseff, a Maria do Rosário, o José Eduardo Cardozo e o Gilberto Carvalho — aquele que lida com os “movimentos sociais” — não vão mesmo dar a menor pelota para o que se passa no Acre, resta a mim tirar a notícia do âmbito apenas regional. Tivesse acontecido a coisa num estado administrado por algum adversário do PT, é claro que estaria na chamada “mídia nacional”, né? Qualquer provocação de um bando de maconheiros do miolo mole em São Paulo merece mais destaque nos noticiosos nacionais do que balas de borracha nos pobres do Acre.
Faz sentido. Raciossimeiem comigo… Ah, em tempo: o verbo “raciossimear”deriva do substantivo “raciossímio”, que consiste em pensar com o apuro e a delicadeza de um macaco — progressista é lógico. Fica a um percentual mínimo de um pensamento humano, se é que me entendem. A diferença entre um macaco e um petralha está apenas na inabilidade de um deles para subir em árvores.
Raciossimeemos, pois, com eles, os petralhas. Se um estado é governado por um partido reacionário, conservador, de direita, porco e capitalista, então é claro que todo confronto com a polícia será protagonizado por revolucionários, progressistas, de esquerda, decentes e socialistas. Assim, estando o PT no poder, é evidente que toda revolta de pobre é, antes de mais nada, expressão da reação. Caramba! Não é assim desde Antônio Conselheiro? Ou vocês não sabem que aqueles analfabetos de Canudos eram monarquistas sabotando os progressistas da República???
Quem governa o Acre? É o companheiro Tião Viana, do PT, com o apoio da companheira ex-verde (hoje “nova política”) Marina Silva. No dia 14 de julho do ano passado, para comemorar os 221 anos da Queda da Bastilha, marco oficial da Revolução Francesa e do fim do despotismo, a polícia do Acre desceu o porrete em alguns invasores de terra, numa operação de reintegração de posse. Um índio ficou cego de um olho, atingido por um bala de borracha. Dilma, Maria do Rosário, José Eduardo Cardozo e Gilberto Carvalho não quiseram nem saber. Contei o caso aqui.
Pobre reacionário tem mais é de tomar chicote no lombo e bala de borracha no olho para aprender a distinguir a história de um trocadilho. Os “petês” só saem gritando “Fogo na floresta!”, como no filme Bambi, quando é a polícia de São Paulo a restabelecer a ordem, geralmente conturbada por ação da companheirada.
Pois bem. Reproduzo abaixo um post de hoje do site Acre 24 Horas. Mais uma vez, fica claro que pobre reacionário não se cria com Tião Viana, não! Ele manda é descer a borracha. E nada de Dilma, Maria do Rosáro, José Eduardo Cardozo e Gilberto Carvalho… Leiam. Volto em seguida:
Por ordem de Tião Viana, Policia Militar dispersa manifestação de desabrigados que fechou a quarta ponte na base da bala, gás de pimenta e bombas de efeito moral
Por Ray Melo:
Desabrigados do Bairro Seis de Agosto, que fecharam a quarta ponte na noite desta terça-feira, 21, em protesto pelo corte no fornecimento de energia em áreas atingida pela água do Rio Acre, foram dispersados pelo Batalhão de Operações Policiais Especiais (BOPE) em uma operação que deixou mulheres e crianças feridas pelos disparos de balas de borracha.
Os manifestantes fecharam o acesso à ponte que liga a Avenida Amadeo Barbosa ao bairro Habitasa. Um assessor do Governo do Estado esteve no local para negociar com os manifestantes, afirmando que o fornecimento de energia seria restabelecido na quarta-feira, 22, após as 12h, mas os desabrigados não aceitaram a proposta e mantiveram o bloqueio.
Os militares do BOPE chegaram ao local e iniciaram as negociações, que terminou com disparos de balas de borracha, gás de pimenta e bombas de efeito moral. Os manifestantes fizeram um cordão de isolamento com crianças e mulheres, mas não foi suficiente para conter os militares que dispersaram a multidão com o uso da força.
Segundo informações de moradores, os policiais agiram precipitadamente. “Nós estávamos nos dirigindo aos objetos usados no bloqueio para fazer a retirada, mas os policiais entenderam que nós estávamos querendo pegar os objetos para agredi-los. Nunca vi nada parecido. Os policiais trataram civis, como verdadeiros bandidos nem as crianças escaparam”, diz o morador João Silva.
O comando da Polícia Militar se justificou afirmando que os policiais foram obrigados a agir. Um militar que não quis se identificar, afirmou que a ordem “partiu de cima”. Uma pessoa ligada à administração de Tião Viana (PT) esteve no local para tentar impedir o trabalho de jornalistas que faziam a cobertura da ação policial.
Encerro
Os pobres do Acre precisam achar o seu gigolô. Só os cafetões da pobreza, que se dizem representantes de “movimentos sociais”, conseguem dialogar com governos petistas. Sem eles, é gás de pimenta no olho! E sem esquerdista para sair gritando “Fogo, fogo na floresta!”

Por Reinaldo Azevedo

O PT do Acre relembra ditadura do passado mas agora é ele quem aperta o gatilho

As imagens a seguir referem-se ao confronto ontem à noite (21), entre manifestantes do POVO no bairro Seis de Agosto e PMs no Acre, quando a comunidade reivindicava os seus direitos.
O confronto, lembra bem à época em que o Partido dos Trabalhadores no Acre antes de subir ao poder lideravam movimentos semelhantes no estado e eles eram mestres nisso melhor que ninguém.

A diferença dessa vez após anos no governo,  os papeis se invertem e quem segura a arma e o cassetete são os opressores do PT contra o próprio POVO que ele jurava defender até a morte.

A máxima de que  o poder corrompe não resta dúvida. Contudo, quando se abre mão de ideais usando homens e crianças como espelho de tiro ao alvo, chego a conclusão de que algo precisa ser mudado urgentemente: Veja as imagens no link abaixo e tire suas conclusões: http://www.youtube.com/watch?v=WyAvbIq1xDw&feature=youtu.be

21 de fev de 2012

Enchente: Ponte Metálica é interditada

A diretora do departamento estadual de Trânsito no Acre- Detran-AC, Sawana Carvalho informou que a partir de agora até que as água do rio Acre comecem a baixar, por medida de segurança a Ponte Metálica como é mais conhecida fica interditada também para pedestres.

A correnteza da água do rio Acre segundo informações do Corpo de Bombeiros não oferece risco para a estrutura da ponte, no entanto por medida de precaução o acesso do primeiro ao Segundo Distrito passa a ser pela passarela e pelas ponte de concreto, terceira e quarta ponte no Complexo Viário Amadeo Barbosa.

A ultima medição feita ao meio dia pela Defesa Civil Estadual, aponta que o nível do rio Acre, subiu mais 0,02cm e agora está marcando 17,38m.

Enchente no Acre

Prefeito de Xapurí-AC decreta situação de emergência
Breve voltaremos. Doa a quem Doer

O prefeito do município de Xapurí no Acre, Bira Vasconcelos, acaba de decretar situação de emergência naquela cidade, em virtude da enchente do rio Acre que atinge diversos bairros e desabrigou até o momento 250 famílias.

As comunidades mais prejudicadas são as do bairro da Bolívia e segundo o prefeito, pede ajuda da Defesa Civil Estadual para evacuar todas as famílias da região, dado os constantes desbarrancamentos que podem causar maiores tragédias.

Nesta manhã, o nível do rio Acre em Xapurí é de 14,90m e sobe em média 0,05cm a cada hora.

A história se repete

0,30cm é o que separa 2012 da mesma situação vivida no ano de 1997 com enchente do rio Acre

Em breve novamente no AR com toda verdade
A última leitura do nível do rio Acre realizada as 06h da manhã desta terça-feira (21) de Fevereiro de 2012 pela Defesa Civil Estadual, aponta que o manancial oscilou para mais e chegou a marca de 17,36m, ou seja, apenas 0,30cm , separando  o mesmo volume de água (17,66m)   registrado no ano de 1.997, em que foi considerado a maior enchente da história do Acre.

Ironicamente, a data histórica não coincide com o dia, pois era uma quinta feira dia 20 de fevereiro mas aconteceu no mesmo período do carnaval e o tema da festa naquele era ano era “As Águas Vão Rolar”, na então gestão do ex prefeito de Rio Branco Maurí Sérgio.

Até o momento segundo o Sistema de Georrefenciamento SIG da capital, mais de 13,7  mil residências já foram atingidas pela água do rio Acre e o último levantamento oficial divulgado na noite de ontem (20), em torno de 24.968 pessoas foram expulsas de suas casas, sendo 6 mil dessas alojadas em abrigos públicos, e a grande maioria foram para casa de parentes ou amigos.

A Defesa Civil perdeu a comunicação com  a região do Alto Acre nas cabeceiras do rio Acre e não há dados oficiais quanto o nível do rio em Assis Brasil e Brasiléia, no entanto, as previsões não são nada animadoras, tendo em vista o rio Purus no Amazonas  onde o rio Acre deságua, transbordou e faz acontecer o fenômeno do represamento empurrando a água de volta que procura se acomodar de alguma maneira invadindo áreas da parte baixa.

Além dos prejuízos incalculáveis causados pela enchente na cidade, plantações inteiras de grãos entre outras culturas foram perdidas no interior

O prefeito de Rio Branco, Raimundo Angelim ainda não decretou situação de calamidade, mas publicamente vem fazendo apelo nas redes sociais e nos meios de comunicação oficial do governo para que as pessoas doem alimentos, roupas, agasalhos e o que for possível para amenizar o sofrimento das famílias alagadas.

O governo federal, enviou ontem ao Acre uma equipe da Força Nacional de Segurança, trazendo consigo o reforço de 15 médicos além de remédios, mantimentos e barracas de lona.

Como não há previsão de vazante do rio Acre, mais abrigos e novos espaços estão sendo preparados para receber mais vítimas da enchente.

20 de fev de 2012

Confira Boletim da Defesa Civil

Nível do rio Acre alcança marca de 17,30m

Exatamente ao meio da desta segunda-feira (20), o nível do rio Acre alcançou a marca de 17,30m em sua calha fazendo a água adentrar ainda mais em vários bairros incluindo na região do centro da capital  no Distrito Industrial.
A praça da Gameleira por exemplo foi interditada tendo em vista,  alcançou  o mastro da bandeira acriana e invade os comércio e espaços públicos.
Não há um número preciso de desabrigados pela enchente mas estima-se na casa dos 30 mil.
Além das 70 equipes composta de seis pessoas cada da Defesa Civil Estadual, homens da força Nacional de Segurança desembarcaram no Acre para ajudar os desabrigados.
É esperado ainda para hoje uma equipe de 15 médicos da Força Nacional e alimentos para as vítimas da enchente em todo o Acre.
Imagem da praça da Gameleira. Foto extraída do Facebook


Raio X da enchente no Acre

Cheia do Rio Acre deixa mais de 6 mil desabrigados e alaga cidades

Capital, Rio Branco, e outras 6 cidades estão entre mais atingidas.
Índios deixam aldeias e bombeiros da Força Nacional chegam para ajudar.

O grande volume de chuvas fez o Rio Acre chegar à marca de 17,24 metros - mais de três metros acima do ponto de transbordamento - segundo medição registrada nesta segunda-feira (20).

Em 1997, o rio alcançou o nível máximo já registrado, com 17,67 metros, sendo considerada uma das piores cheias da história do estado.

Várias cidades estão alagadas e subiu para mais de 6 mil pessoas o número de desabrigados, segundo dados da secretaria de comunicação do governo do estado. Mais de 8 mil casas foram alagadas. As cidades de Rio Branco, Porto Acre, Santa Rosa, Rio Branco e Assis Brasil, Manoel Urbano e Sena Madureira estão entre as mais atingidas.
A prefeitura de Porto Acre decretou situação de emergência, onde pelo menos 230 famílias ribeirinhas estão desabrigadas devido à cheia. Na área urbana, há outras 22 famílias estão desabrigadas.

Nas cidades de Santa Rosa, Rio Branco e Assis Brasil, a situação é grave devido à cheia do Rio Iaco. Em Santa Rosa, o rio se mistura com a rua invadindo os espaços que antes eram tomados por pedestres e veículos. Pelo menos 100 famílias tiveram as casas invadidas pela água.

Índios Kaxinauwá e Jaminawa também tiveram que deixar suas aldeias e foram transportados para a cidade. Em Assis Brasil outras 149 famílias foram desabrigadas. Em Rio Branco, desabrigados foram levados para um parque de exposições. Outros estão ficando em casas de parentes ou sendo acolhidos em alojamentos como escolas e outros espaços públicos.
O bairro Alto de Rio Branco ficou totalmente isolado por conta da enchente do Riozinho do Rola, um afluente do Rio Acre, e as autoridades locais tiveram que usar um helicóptero para levar alimentos aos moradores desta área neste domingo (19). Apesar da situação ser preocupante, as autoridades de Rio Branco decidiram manter as festas de carnaval, que, na noite do último sábado, reuniram mais de 40 mil pessoas no centro da capital do estado.
Segundo as autoridades locais, a região boliviana de Pando, na fronteira com o Acre, teve 185 famílias removidas neste domingo por causa das inundações.
 
Força Nacional
O governo federal enviou pelo menos 30 militares da Força Nacional para auxiliar no trabalho de remoção das famílias atingidas. Segundo a Agência de Notícias do Acre, a tropa está a disposição do Corpo de Bombeiros para colaborar com a retirada das pessoas que estão ficando desabrigadas.

Cada militar da Força Nacional acompanha duas equipes de quatro pessoas que são enviadas aos locais onde as vítimas da enchente solicitam apoio da Defesa Civil. Os militares chegaram no Acre em uma aeronave da Força Aérea Brasileira (FAB).

Segundo Armin Braum, da Defesa Civil Nacional, enviado para acompanhar de perto a situação em todo o estado, mais 40 bombeiros estão chegando para somar esforços, além de cestas alimentícias, medicamentos e 15 médicos da Fundação Nacional de Saúde, informa a Agência de Notícias do Acre.

19 de fev de 2012

Enchente no Acre

Embarcação de luxo usada por deputados em turismo pode ser usada no auxilio aos desabrigados sugere internauta 

Em resposta aos apelos pelo Facebook  da deputada Perpétua Almeida (PC do B) [que pleiteia colocar seu nome à frente na disputa pela Prefeitura de Rio Branco pela coligação da frente popular do Acre], quando se referia pedindo ajuda a quem soubesse de um barco para alugar ou emprestar para auxiliar os desabrigados pela enchente do rio Acre, um internauta mais que irônico mandou o seguinte recado: 


Lelande Holanda Perpétua Almeida quanto a questão do barco para alugar, tenho uma sugestão. Pede ao Edivaldo Magalhães o contato do proprietário daquele luxuoso iate que ele alugou para fazer um turismo nos rios da Amazônia. Se ele não lembrar, vai ai um pequeno lembrete, da uma olhada no vídeo, acho que o povo vai gostar.

Ao povo lápis e papel

Enquanto Tião Viana gasta milhões com mídia promocional e festa, usuário do SUS reclama que para pacientes o governador usa lápis e papel para informá-los
O usuário do Sistema Único de Saúde Gilmar Torres, indignado como o governo do Acre gasta milhões com propaganda na mídia e com festas populares a exemplo do carnaval de rua onde foram investidos mais de R$ 5 milhões  para a festa popular, encaminhou uma fotografia à redação, para mostrar como é o sistema de informação aos pacientes no centros, postos de saúde e nas Unidade de Pronto Atendimento UPAs. A fotografia foi tirada ontem na UPA do Segundo Distrito.


Enchente no Acre. confira como está a situação de momento em todo estado

Já passa de quatro mil o número de desabrigados pela enchente do rio Acre, somente na capital acriana que na manhã deste domingo (19), segundo o relatório emitido pela Defesa Civil Civil está com seu nível marcando 17,10m, ou seja, faltando apenas 0,56 centímetros para alcançar a mesma marca registrada durante a maior enchente já registrada na história do estado ocorrido em 1.997.

Segundo o Sistema de Georreferenciamento da prefeitura de Rio Branco mais de 9 mil residências foram afetadas pela enchente do manancial em pelo menos 18 bairros a parte baixa da cidade.

No interior por onde o rio Acre também que corta as cidades de Assis Brasil, Brasiléia, Xapurí e Epitaciolândia, a situação não é diferente, tanto que em Assis Brasil e Brasiléia o carnaval de rua foi suspenso em solidariedade ás vítimas da enchente e para evitar acidentes, tendo em vista as prefeitura concentram suas ações no socorro aos desabrigados.

Em Sena Madureira o rio Yáco ganhou ainda mais força e está com seu nível de água quase 3,00m acima da cota considerada de transbordamento (14), e mede 16,95m. 61 famílias foram expulsas de suas casas e encontram em abrigos improvisados pela prefeitura local.

Em Cruzeiro do Sul , o nível do rio Juruá se mantém estável, mas acima da cota de alerta naquela cidade e marca em sua calha mais profunda 12,44m. Não há ainda informações de desabrigados pela enchente do Juruá.

No município de Tarauacá, o rio que leva o mesmo nome da cidade voltou a transbordar por causa do seu afluente rio Môa que recebeu muita água nas cabeceiras e está com seu volume marcando 9,55m esta manhã.

OBS: A Defesa Civil só considera números oficiais de pessoas desabrigadas as que encontra-se em abrigos montados pela prefeitura e que foram retiradas de suas casas com a ajuda do Corpo de Bombeiros. A maioria sairam de suas casas por conta própria para casas de parentes e amigos e a Defesa Civil não sabe precisar um número exato de pessoas desalojadas pela enchente.
Foto 2 Alder Cruz