12 de mai de 2011

Que a justiça seja feita

Promotor classifica como “homicídio” do estado morte de paciente expulso da UPA

O Promotor de Justiça do Ministério Público Estadual, Dr. Rodrigo Curti, classificou como homicídio a morte do senhor Antônio da Silva Feitosa  de 57 anos, que faleceu de parada cardíaca no último domingo (01), após ter sido mandado embora da Unidade de Pronto Atendimento, UPA Tucumã, [mesmo estando sendo medicado], porque o horário de expediente (22h), havia encerrado na unidade de saúde.

Para o Promotor, “não resta dúvida que o senhor Antônio morreu por omissão do estado, quando lhe foi negado o direito básico á saúde.

Rodrigo Curtti vai abrir inquérito policial para investigar o caso e acionar a Promotora de Saúde do MPE, e responsabilizar o estado a indenizar a família da vítima.

“Iremos levar toda a documentação ajuntada até momento para a Delegacia de Homicídios e vamos de imediato fazer contato com a secretária de saúde Suely Melo, para que ela preste esclarecimento e dê sua versão sobre o assunto”, disse.

Procurada para falar sobre o caso, a secretária de saúde Suely Melo, não foi encontrada. Deixamos ainda recado na sua secretária eletrônica pelo número 9971 06**, mas não houve retorno até o fechamento desta edição.

Salomão Matos

Caso Clerisnar Santos

Julgamento de Hildebrando Pascoal pode ser cancelado

A crise instalada na Defensoria Pública do Estado do Acre por conta da defesa do coronel Hildebrando Pascoal está longe de um capítulo final. Mas se por um lado ela afeta diretamente os advogados Dion Nóbrega e Valdir Perazzo, por outro, pode beneficiar diretamente os réus acusados por cárcere privado de Clerisnar Santos.

Além da tese de que o resultado do Conselho de Sentença contraria as provas apresentadas nos autos, o advogado Valdir Perazzo representou contra o defensor publico geral, Dion Nóbrega, a quem acusa de ter influenciado no resultado do julgamento, desestabilizando a defesa.

O estopim para as manifestações entre as partes foram as declarações dadas à imprensa por Dion Nóbrega, dizendo que Valdir Perazzo estava proibido de defender Hildebrando Pascoal.

O extenso relatório apresentado à corregedoria da Defensoria Pública do Estado procura mostrar também que a defesa de Hildebrando Pascoal já vinha sendo protelada injustificadamente, pelo próprio Dion Nóbrega nomeado para defender Hildebrando Pascoal no dia 13 de maio.

- No dia 25 de maio de 2010, o Defensor Público Dion Nóbrega apanha o processo com carga e o devolve em 30 de junho de 2010, sem petição alguma.  Pasme! Trinta e cinco dias depois sem nenhuma petição – comenta Perazzo.

O advogado cobra de Dion Nóbrega um documento que comprove sua renúncia ao cargo sob a alegação de que Hildebrando Pascoal era rico. No dia 29 de junho, quando Nóbrega já era defensor chefe surge uma petição para dizer que, “por motivos de foro intimo o defensor Rogério Carvalho Pacheco renuncia à defesa de Hildebrando Pascoal”. Carvalho não foi nomeado por portaria.

No dia 02 de agosto, o sub-defensor público geral, diz que Hildebrando Pascoal não pode ser defendido pela Defensoria Pública do Estado. Armyson Lee Linhares de Carvalho apresenta-se como advogado de Hildebrando Pascoal por indicação da OAB na pessoa de seu vice-presidente, “sem que a OAB tenha sido oficiada para tal”, diz o relatório.
- A prerrogativa de indicar defensor dativo é do juiz, por mandamento do Pacto de San José da Costa Rica, da Constituição Federal e do Código de Processo Penal (art. 263).  Dada as insinuações malévolas do Dr. Dion Nóbrega Leal, de ter portaria impedindo Defensor Público de defender Hildebrando Pascoal, mesmo contra os instrumentos legais mencionados, passa a prevalecer seus arreganhos contra o sagrado e constitucional direito de defesa – cita Perazzo.

O advogado suspeita ainda que a entrevista de Dion Nóbrega tenha ocorrido após contatos telefônicos com o Ministério Público. Estranhamente, a indicação de Perazzo para a defesa de Hildebrando não foi registrada na ata do julgamento.

O advogado pede a corregedoria as punições disciplinares ao representado por falta funcional e crime de responsabilidade a ser apurado pela Assembleia Legislativa do Estado do Acre.
O ac24horas tentou falar com o defensor público geral, as 10h21 através do telefone 99** 432*. A última ligação feita ao mesmo telefone institucional foi às 20h55. Dion Nóbrega não atendeu ao telefone da redação e não retornou as ligações até a edição desta matéria.

Jairo Carioca – da redação de ac24horas
js.carioca@hotmail.com
Rio Branco - Acre

9 de mai de 2011

Doença de Chagas

Praga de Barbeiros faz Vigilância intensificar trabalho de combate ao besouro

Uma verdadeira praga do besouro Barbeiro, transmissor da doença de chagas, tem feito os agentes de Vigilância Epidemiológica da secretaria municipal de saúde intensificar os trabalhos de eliminação do inseto no bairro Mocinha Magalhães em Rio Branco no Acre.
Segundo o chefe de equipe de campo da Vigilância, João Batista, ao menos um caso confirmado da doença foi registrado na rua Côco e há registro de outros focos nos bairro Portal da Amazônia e no residencial Pedro Roseno, também na capital acreana.

-Cinco equipes da Vigilância vem percorrendo todas as casas do Mocinha, fazendo borrifação, mas por enquanto, é um trabalho preventivo. O número de insetos encontrados até o momento é muito grande mas exames confirmaram que em apenas um dos insetos foi encontrado o vetor da doença”, disse o fiscal sanitário.

Breve histórico da doença:
O que é doença de Chagas
A doença de chagas -- também conhecida como mal de Chagas, chaguismo e tripanossomíase americana -- é uma infecção causada pelo parasita Trypanosoma cruzi. A forma mais comum de contágio é através do contato com as fezes de insetos conhecidos popularmente como barbeiro, que se alimentam sugando sangue humano e de animais. A doença de chagas também pode ser transmitida das seguintes formas: mãe para bebê (congênita), transfusão de sangue e transplante de ógãos.
Locais onde a doença de Chagas ocorre
A doença de é endêmica desde o México até a América do Sul, onde estima-se que de 8 a 11 milhões de pessoas são infectadas. O barbeiro prolifera em casa de condições precárias, como paredes de barro ou teto de colmo, de modo que pessoas das áreas rurais são as que têm maiores riscos de contrair a doença de Chagas.
Sintomas e progressão da doença de Chagas
A doença de Chagas tem uma fase aguda e outra crônica. Se não for tratada a infecção pode durar a vida toda. A fase aguda da doença de Chagas ocorre logo após a infecção, pode durar de algumas semanas a meses, e parasitas podem ser encontrados na circulação sanguínea. A infecção pode ser moderada ou assintomática (sem sintomas). Pode ocorrer febre ou inchaço ao redor do local da inoculação (onde o parasita entrou na pele ou membrana mucosa). Em raras ocasiões, a infecção aguda pode resultar em inflamação severa do músculo cardíaco ou do cérebro e seu revestimento.
Seguindo a fase aguda a maioria das pessoas infectadas entram numa forma da doença prolongada e assintomática, chamada de "crônica intermediária", na qual poucos ou nenhum parasita é encontrado no sangue. Durante essa fase a maioria das pessoas não está ciente da infecção. Muitas pessoas podem permanecer assintomáticas pelo resto da vida e nunca desenvolver sintomas relacionados à doença de Chagas. Porém, estima-se que 30% das pessoas infectadas desenvolverão problemas médicos debilitantes durante o curso da vida. 
Complicações da fase crônica da doença de Chagas podem incluir:
* Anormalidades no ritmo cardíaco que podem causar morte súbita.
* Coração dilatado que não bombeia bem o sangue.
* Esôfago ou cólon dilatados, ocasionado dificuldades com alimentação e passagem das fezes.

Diagnóstico da doença de Chagas
O diagnóstico da doença de Chagas pode ser feito através da observação do parasita em exame microscópico de amostra de sangue. Porém, esse método de diagnóstico somente funciona bem durante a fase aguda da infecção. O diagnóstico da doença de chagas crônica é feita após achados clínicos do paciente, assim como sua probabilidade de ter sido infectado.
Tratamento da doença de Chagas

O tratamento para doença de chagas é recomendado para todas as pessoas diagnosticadas com infecção aguda, sistema imunológico enfraquecido ou infecção congênita. Outras pessoas com doença crônica, especialmente crianças, podem se beneficiar do tratamento. Para problemas cardíacos ou gastrointestinais decorrentes da doença de Chagas, o tratamento sintomático (no qual procura-se aliviar os sintomas) pode ajudar. Os pacientes devem consultar primeiramente um clínico geral. Alguns pacientes podem ser encaminhados a um especialista, como cardiologista, gastroenterologista ou especialista em doenças infecciosas.

Salomão Matos

Protesto na UFAC de Cruzeiro do Sul

Acadêmicos de Espanhol voltam a protestar contra falta de professores na UFAC de Cruzeiro do Sul

Os acadêmicos do curso de Espanhol da Universidade Federal do Acre, no Vale do Juruá em Cruzeiro do Sul, voltaram a protestar contra a falta de professores e interditando a entrada principal do Campus nesta segunda-feira (09).

Para os acadêmicos, além do curso de Espanhol, outras disciplinas estão com o quadro de docentes insuficientes, enquanto a reitoria da UFAC, não acena com nenhum  possibilidade para resolver o problema.

Amanhã, eles prometem não deixar ninguém entrar na universidade e caso a situação persista pretendem ingressar no Ministério Público Federal, pedindo intervenção da instituição.

Procurada, a reitora da UFAC, Olinda Batista não foi encontrada para comentar sobre o assunto.

Salomão Matos

Brutalidade

Colono é brutalmente espancado por ladrões e ainda teve frasco de perfume introduzido no ânus

Um colono foi brutalmente espancado por quatro ladrões, quando voltava para casa em sua bicicleta, e ainda teve um frasco de perfume  introduzido no ânus pelos bandidos.

O crime, aconteceu na Estrada da Borracha [município de Xapurí-AC], na última quarta-feira, mas somente ontem (08), com vergonha, foi que a vítima que não teve o nome divulgado procurou os médicos da cidade xapuriense para retirar o objeto do seu corpo, mas dado a gravidade dos ferimentos, ele foi trazido para ser submetido a uma cirurgia no Pronto Socorro de Rio Branco.

Segundo o delegado que investiga o caso, Dr. Tiago Fernandes, só tomou conhecimento do caso ontem, quando familiares da vítima prestaram queixa na delegacia.

Quatro suspeitos pelo crime estão sendo investigados.

Salomão Matos

Absurdo com a imprensa


Nota de repúdio

A Associação dos Cronistas Esportivos do Acre (ACEA) vem a público repudiar a atitude do Presidente da Comissão de Arbitragem senhor Josemir Raulino, pelo fato do mesmo ter praticado abuso de poder ao expulsar do gramado do estádio Arena da Floresta o repórter da Rádio Difusora Acreana, Paulo Henrique Nascimento, quando do jogo do último domingo entre Atlético Acreano e Rio Branco FC.

O argumento do diretor de arbitragem para expulsar o cronista esportivo teria sido a notícia repassada pelo repórter aos milhares de ouvintes, a qual, segundo o diretor, não era verdadeira, esquecendo ele que a maior autoridade da partida era o árbitro Airton Viana, esse sim poderia ter solicitado a saída do repórter.
 
Sob este aspecto, a direção da ACEA faz alguns questionamentos para o diretor de arbitragem: a) Será que nenhum repórter de pista poderá ir contra o que se vê? b) Será que o direito livre expressão, desde que não fira a moral dos árbitros, não possa ser dada? c) Será que os erros devem ser varridos para debaixo do tapete, podendo, caso contrário, significar expulsão dos gramados acreanos?
 
Portanto, a ACEA reafirma de público que os cronistas esportivos filiados a entidade se pautam pela ética e, jamais, irá trabalhar para agradar árbitros/assistente ou mesmo a Comissão de Arbitragem, assim continuando a trabalhar com transparência ao seu público nem que para isso a pena seja cobrir as partidas das arquibancadas, pois a missão da crônica esportiva é passar ao torcedor os fatos, dentro e fora dos gramados.
 
Assim, esperamos que a direção da Federação de Futebol do Acre (Ffac), na pessoa de seu presidente, Dr. Antônio Aquino Lopes, reveja o posicionamento do presidente de sua comissão de arbitragem sobre o acesso livre ao trabalho da imprensa esportiva acreana.
 
Desde já agradecemos,
 
Ramiro Marcelo B. Furtado
Presidente da Associação dos Cronistas Esportivos do Acre