12 de mai de 2011

Que a justiça seja feita

Promotor classifica como “homicídio” do estado morte de paciente expulso da UPA

O Promotor de Justiça do Ministério Público Estadual, Dr. Rodrigo Curti, classificou como homicídio a morte do senhor Antônio da Silva Feitosa  de 57 anos, que faleceu de parada cardíaca no último domingo (01), após ter sido mandado embora da Unidade de Pronto Atendimento, UPA Tucumã, [mesmo estando sendo medicado], porque o horário de expediente (22h), havia encerrado na unidade de saúde.

Para o Promotor, “não resta dúvida que o senhor Antônio morreu por omissão do estado, quando lhe foi negado o direito básico á saúde.

Rodrigo Curtti vai abrir inquérito policial para investigar o caso e acionar a Promotora de Saúde do MPE, e responsabilizar o estado a indenizar a família da vítima.

“Iremos levar toda a documentação ajuntada até momento para a Delegacia de Homicídios e vamos de imediato fazer contato com a secretária de saúde Suely Melo, para que ela preste esclarecimento e dê sua versão sobre o assunto”, disse.

Procurada para falar sobre o caso, a secretária de saúde Suely Melo, não foi encontrada. Deixamos ainda recado na sua secretária eletrônica pelo número 9971 06**, mas não houve retorno até o fechamento desta edição.

Salomão Matos

Nenhum comentário:

Postar um comentário