20 de mai de 2011

Abandono na UFAC

Além de estupradores Campus esta tomada pelos Urubus
Adicionar legenda
O Campus da Universidade Federal do Acre, localizada no Distrito Indistrial de Rio Branco, além da falta de segurança, o que denota o estupro de uma acadêmica de enfermagem registrada no início da noite de ontem (19), também está tomado pelo lixo e urubus.

Por toda extensão dos 160 hectares da UFAC, o lixo acumulado nas caixas coletoras que não comportam mais tanto lixo, tem atraído as aves de rapina.

Em uma dessas caixas coletoras que fica bem ao lado de uma parada de ônibus, os acadêmicos reclamam da fedentina que exala um mal cheiro insuportável.

Salomão Matos

De parabens!!!

Escola do Acre é destaque nacional em bom exemplo contra a violência

Em três anos, a escola Antonio Fernandes de Fretas, uma das escolas mais violentas de Rio Branco no Acre,  virou uma das melhores do estado. Hoje não há mais ocorrências graves no colégio e as famílias valorizam a escola.

A escola, foi destaque em rede nacional do Jornal Hoje da Rede Globo, em reportagem exibida nesta sexta-feira (20). Confira o vídeo na  reportagem de Bianka carvalho: http://video.globo.com/Videos/Player/Noticias/0,,GIM1514290-7823-AMIGOS+DA+ESCOLA+REDUZEM+BRIGAS+E+PORTE+DE+ARMA+EM+COLEGIO+NO+ACRE,00.html
Salomão Matos

18 de mai de 2011

No Acre: Cego é aquele que nao quer ver

O “mito” OXI só não existe para o estado

Somente a policia do Acre e a base de sustentação do governo na Assembléia Legislativa, não acreditam ou fazem vista grossa, de que a droga OXI, existe e muito menos circula a venda nas periferias de Rio Branco.

Quando a mídia local faz qualquer menção sobre o assunto, é logo taxada de oposicionista ou sensacionalista. Por outro lado, as manchetes sobre a nova droga ganharam o mundo e estampa a capa dos principais jornais como O Globo, G1 e mais recente da emissora Árabe Al Jazeera.

A pergunta que se faz então é; será que os jornalistas dessas reportagens não poderiam ministrar cursos de investigação para a polícia? Afinal de contas, somos nós tão espertos ou os milicos tem medo de entrar nas periferias ou não querem impedir o comércio do veneno letal?

Mesmo quem vem de fora [jornalistas internacionais] sem conhecer geograficamente absolutamente nada das cidades acreanas, conseguem encontrar para as suas matérias a droga sendo vendida e consumida a vontade no estado. Confira vídeo em uma delas: http://www.youtube.com/watch?v=8KFxap_cupk&feature=youtu.be
Salomão Matos

17 de mai de 2011

Descaso na saúde de 1º mundo no Acre

Familiares do senhor José Fernandes Teixeira, mais conhecido por Brizzola, de 47 anos, que morreu ontem (16), vítima de parada cardíaca na Unidade de Pronto Atendimento UPA- Tucumã, não se conformam como ele foi atendido e pretendem entrar com uma ação no Ministério Público Estadual por omissão de socorro contra o governo do estado e a Secretaria de Saúde Estadual.

Segundo conta a irmã dele, a senhora Conceição Fernandes Nascimento, “meu irmão chegou ainda com vida aqui. Além de o médico estar no lanche que fica na frente da unidade dizendo que só iria atendê-lo depois que terminasse de comer, não havia material para entubá-lo e as drogas para reanimá-lo estavam com prazo de validade vencida”, denuncia.

Essa informação da falta de material para procedimento na UPA Tucumã, também foi confirmada por um socorrista da Unidade Avançada 01, do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência- SAMU. 

Pedindo para não ter o nome citado, o socorrista contou que “ eram entre 11h ou 11h30, não sei bem precisar, mas recebemos o chamado informando do quadro grave do paciente e que na UPA não havia material para entubar o paciente e nem para reanimá-lo, sendo que as drogas que dispunham estavam com prazo de validade vencida. Ainda no caminho quando estávamos chegando na UPA, fomos avisados de que o paciente já estava sem vida e não seria mais necessário a nossa ajuda”, relatou o socorrista.

“Não queremos dinheiro do estado não. O que queremos é que o estado seja condenado pela justiça e sirva de lição para que outras pessoas não venham a morrer a míngua como morreu meu irmão. Como pode o nosso governador que se diz um médico deixar faltar medicamento nas unidades de saúde e ainda manter no emprego médicos que não tem um pingo de ética”, lamentou a irmã da vítima.
Em contato com a Secretária de Saúde do Estado, Suely Melo, para dar a sua versão sobre o assunto, fomos informados que ela encontra-se em reunião e não poderia nos atender. Deixamos ainda recado na secretária eletrônica do telefone dela [9971 06**], mas não houve retorno.

Mais tarde, conseguimos falar por telefone com a gerente de comunicação da saúde, Surama Chaul. Segundo ela, a secretaria já tem conhecimento da morte do senhor José Fernandes e a instituição está tomando todas as providencias para se houve negligencia. 

“Já abrimos uma sindicância interna para apurar tudo. Na verdade o que conseguimos apurar até o momento foi que o médico voltava do lanche e os familiares do paciente queriam que ele fosse atendido ali mesmo no meio a rua. Sobre a medicação, muito embora a medicação estivesse mesmo vencida ela não foi administrada no paciente. Quanto o chamado do SAMU foi porque os médicos aqui da UPA não estavam conseguindo entubar o senhor Fernandes e pediram ajuda dos socorristas”, esclareceu.
Pelo que informou Surama, os dois médicos que atenderam o senhor Fernandes foram o Dr. Charles da Silva e o Dr. Ricardo Barbosa. 

“Tudo que poderia ter sido feito para salvar o paciente foi feito dentro dos procedimentos legais da medicina e isso eu poso garantir”, garantiu a assessora.

Essa não é a primeira morte de pessoas por omissão de socorro na UPA Tucumã que vem sendo investigado. No dia 1º de Maio, o senhor Antônio Rodrigues da Silva Feitosa também de 47 anos, faleceu de parada cardíaca depois que foi mandado embora da unidade para casa, [mesmo estando sendo medicado], porque o horário de expediente (22h), na UPA havia terminado. 

O assunto chegou ao conhecimento da Promotoria de Justiça do Ministério Público Estadual. O promotor do MPE, Dr. Rodrigo Curti, classificou o caso de Antônio Rodrigues da Silva, como homicídio pelo estado e entrou com uma representação na Delegacia de Crimes Contra a Vida e na Promotoria de Saúde do MPE, pedindo reparação para a família da vítima.

Salomão Matos

O governo mentiu!!!

Documento comprova saída de colchões doados para desabrigado para atender Força Nacional

Ao contrário do que afirmou a secretaria de comunicação do governo do Acre, Mariama Morena, e diferente do que foi afirmado pelo líder do governo, deputado Moisés Diniz [PCdoB], com base em informações oficiais do comando da Policia Militar, 14 colchões saíram do Quartel da PM destinado ao Centro Integrado de Ensino da Segurança Pública.

donativo_alaga1in23
O deputado Major Rocha [PSDB] confirmou hoje pela manhã que os colchões eram dos donativos destinados aos alagados. O deputado denunciou também o estrago de alimentos que estão estocados em salas da Policia Militar do Acre.
De acordo com documentos que foram checados pela reportagem do ac24horas do livro de registro da Guarda Militar, os colchões saíram da PM no dia 15 de maio, no domingo. Ainda segundo o deputado Rocha, as denúncias foram feitas pelos próprios militares.
donativo_alaga2in- Eu fui verificar o transporte dos colchões e acompanhei o carregamento até o CIESP, não foi ninguém que contou. Não houve registro de alimentos, mas há depoimentos que afirmam a retirada de alimentos para atender a Força Nacional – disse na Tribuna o deputado tucano.
A secretária Mariama Morena chegou a dizer que este site tinha mentido ao afirmar com base no Blog 04 de Maio, que donativos destinados aos desabrigados haviam sido destinados aos 180 homens da Força Nacional.
Em sua fala hoje na Aleac, o deputado-major Rocha convidou a secretária Mariama Morena, os deputados da base governista e a imprensa, para visitar o depósito onde os donativos destinados aos desabrigados da alagação em Rio Branco estão estocados. Mariama foi contradita também pelo líder do governo.
Rocha esteve hoje pela manhã no Comando da Policia Militar checando mais uma informação, de que alimento que deveriam ter sido doados para as famílias vitima de alagação, estão se estragando nas salas da corporação.
Em sua fala na tribuna da Aleac, O deputado Moisés Diniz sugeriu que o Ministério Público seja chamado para averiguar se ainda há donativos para ser entregue aos desabrigados, e se tiver que chame a responsabilidade de quem é responsável pela distribuição.
E Rocha ouviu a sugestão:
- Vou ao Ministério Público pedir providências para esse descaso e requerer que o órgão peça explicações do Estado para saber o porque que até hoje os alimentos não foram entregues as famílias necessitadas – comentou.
O ac24horas procurou o comandante da Policia Militar através da assessoria de imprensa da PM, mas não fomos atendidos. 

Jairo Carioca – da redação de ac24horas
js.carioca@hotmail.com
Rio Branco - Acre

Al Jazeera publica reportagem sobre o OXI no Acre

A Rede de TV Árabe Al Jazeera, publicou na manhã desta terça-feira (17), em sua página principal, uma das duas reportagens produzidas no Acre sobre o Oxi, [droga que vem sendo amplamente comercializadas nas periferias de Rio Branco] e que colocou o Acre como porta principal da droga no Brasil e para o resto do mundo.

A reportagem, conta o drama do jovem Elias, que morando na capital acriana teve uma vez um bom trabalho como técnico, uma esposa amorosa, e duas crianças com idades entre três e sete. Ele perdeu quase tudo quando ficou preso em uma nova droga chamada Brasil varrendo Oxi - a cocaína mortal bi-produto duas vezes mais potente e viciante que o crack.

“Eu cruzei a fronteira da Bolívia, só para tomar uma cerveja, e eu conheci algumas pessoas. Eles me ofereceram uma lata e disse: 'tente isso.' Foi Oxi. Eu tentei e eu caí no amor com ele. E eu nunca poderia deixá-lo”, conta Elias.

A emissora Al Jazeera, está em constante crescimento e é formada principalmente por telespectadores residentes em países do mundo árabe e imigrantes na Europa, principalmente na França, onde vivem 4,5 milhões de árabes ou descendentes, e na Alemanha.                     

Na segunda reportagem, a emissora vai exibir o drama dos Haitiano que se refugiaram no estado, depois dos eventos naturais naquele país. Leia matéria completa aqui em inglês no Jornal Al Jazeera: http://blogs.aljazeera.net/americas/2011/05/16/recovering-addict-describes-brazils-deadly-new-drug

Salomão Matos

16 de mai de 2011

OXI do Acre para o mundo

Al Jazeera publica amanhã reportagem sobre o OXI no Acre

A Rede de TV Árabe Al Jazeera, publica amanhã (17), em sua página principal, uma das duas reportagens produzidas no Acre sobre o Oxi, [droga que vem sendo amplamente comercializadas nas periferias de Rio Branco] e que colocou o Acre como porta principal da droga para o Brasil e o mundo.
                     
Na segunda reportagem, a emissora vai exibir o drama dos Haitiano que se refugiaram no estado, depois dos eventos naturais naquele país.
A emissora Al Jazeera, está em constante crescimento e é formada principalmente por telespectadores residentes em países do mundo árabe e imigrantes na Europa, principalmente na França, onde vivem 4,5 milhões de árabes ou descendentes, e na Alemanha.Acompanhe o jornal Al Jazira em inglês http://english.aljazeera.net/watch_now/


Salomão Matos

Crime bárbaro em Porto Acre

PMs são acusados de assassinato na Vila do Incra

O corpo do desempregado Marcos da Silva de Almeida, 25 anos, deu entrada as 11h de ontem (15), no Instituto Médico Legal com diversos hematomas e segundo a policia ele morreu após cair da viatura da PM ao ser preso, depois que furtou dois vidros de shampoo do Marcado do Andrade na Vila do Incra na cidade de Porto Acre [município distante 54 quilômetros da capital acreana].

Segundo dezenas de testemunhas que presenciaram a prisão de Marcos e o pai dele, José Rufino, “Marcos foi brutalmente espancado pelos seguranças do marcado e pelos próprios policiais militares que usaram inclusive ripas de cerca para bater nele. Após a sessão de peia ele foi colocado dentro da viatura e no caminho os militares dizem que ele caiu e morreu”, conta Rufino.

Na Vila do Incra, as pessoas tem medo de comentar o assunto já que os PMs segundo disse o pai de Marcos, “avisaram para ninguém abrir o bico senão iriam ter o mesmo destino do meu filho. Vou procurar o Ministério Público Estadual e denunciá-los por homicídio”, afirma.

No IML, a nossa reportagem procurou saber a causa da morte de Marcos e consta no atestado de óbito como sendo por traumatismo craniano motivado por uma queda do veículo da Polícia Militar. Contudo, uma funcionária do IML que pediu para não ter o nome divulgado, revelou a nossa equipe, que “pelas fotos tiradas aqui no IML do rapaz, ele foi muito espancado mesmo e não acredito que ele morreu por uma queda não”, disse.

Tentamos fazer contato no comando geral da PMAC para saber se o caso será investigado mas não obtivemos êxito até o fechamento desta edição.

Salomão Matos

Força Nacional no Acre

Força Nacional está no Acre para garantir ordem em caso de greve da Polícia Militar

A presença dos militares no estado atendeu um pedido do governador Tião Viana ao Ministério da Defesa.
As informações são poucas mas mesmo assim um oficial da PM do Acre disse que 120 homens da Força Nacional de Segurança já se encontram no Acre e estão hospedados no Centro Integrado de Segurança, ao lado do Tribunal de Justiça no Distrito Industrial de Rio Branco.

Eles teriam chegado na madrugada de Sábado e já ontem fizeram blitz na principal porta de saída e entrada de Rio Branco. Um pelotão vestido de roupas camufladas e de posse um potente fuzil, se plantou em frente o antigo posto da corrente, colocando medo em quem passava pelo local.

A presença dos militares no estado atendeu um pedido do governador Tião Viana ao Ministério da Defesa. “O governador se precaveu porque a cidade não pode ficar sem segurança. Ele teme que o movimento dos militares possa radicalizar, uma vez que o governo não tem dinheiro para atender as reivindicações”, disse um membro da equipe de Tião que pediu para não ter o nome revelado.

Salomão Matos