15 de jul de 2013

Baba de morcego, mijo de pium e contra-cheques de secretario de estado pode ser cura para espinhela caída

As redes sociais vem se tornando cada vez mais um espaço onde os internautas interagem seja qual for o assunto e muitos, apelam ate em busca pela cura de alguma enfermidades, pedindo conselhos.
O ex deputado e fiscal da Fazenda Luiz Calixto por exemplo, disse estar sofrendo com a enfermidade conhecida popularmente de “espinhela caída”.

Na medicina formal, a “espinhela caída” explica-se que em nosso toráx, na parte anterior na linha mediana, existe um osso achatado,  o esterno, sobre o qual se articulam as clavículas e quase todas as costelas. Na  parte inferior desse osso, encontra-se uma pequena formação cartilaginosa cujo  nome científico é apêndice xifóide, mas conhecido, vulgarmente como espinhela.  Esse apêndice sofre variações em sua forma. Entretanto, segundo os anatomistas,  mais se parece a uma espada, daí seu nome (Xiphos, espada, e  eidos, forma).

Na postagem de Calixto, diversos foram os conselhos dos internautas para curar a doença entre eles alguns engraçados.
O internauta Evandro Damasceno por exemplo, disse que a cura certa seria a  Baba de morcego, mijo de piúm e um contra cheques de secretário do governo! E a receita do preparo, insiste Damasceno, seria, misturar tudo e ferver em um fogão, de preferência da cozinha do Pascal Kalil, uma das famílias que mais ganha licitações em fornecimento de marmitex e refeições prontas para o governo e a prefeitura da capital do Acre.

Mais a maioria mesmo dos internautas, aconselharam Calixto a procurar uma boa rezadeira, comum na medicina tradicional da região amazônica. Acompanhe todas as dicas seguindo o ex deputado pelo Facebook clicando aqui





17 de dez de 2012

Procurando quem manda


Afastado da prefeitura de Sena acusado por improbidade administrativa , Areal procura apoio do governador Tião Viana

Apesar de ainda não ter sido localizado pela justiça acriana e ser notificado oficialmente de seu afastamento da prefeitura do município de Sena Madureira, [interior do Acre], na semana passada, acusado por improbidade administrativa, Nilson Areal foi visto na manhã desta segunda feira (17), entrando na Casa Rosada, onde funciona o gabinete do governador Tião Viana.

Areal, responde ao Inquérito Civil Nº. 06.2012.00000784-0 instaurado pela promotora Vanessa de Macedo, onde  apontou que ele e a sua secretária de finanças da prefeitura de Sena Madureira, Cecília Teixeira de Souza , ordenaram ou autorizaram pagamento de serviços que não foram prestados à prefeitura, além de utilizar‘laranjas’, pessoas físicas que tiveram suas contas bancárias usadas para lavagem de dinheiro público.
Entre as ilegalidades reveladas pelo MPE/AC, a juíza Zenice Mota cita em sua decisão, o caso de uma pessoa que não exerce a advocacia, mas que recebeu dinheiro por serviços advocatícios. O esquema teria desviado aproximadamente R$ 292,327,87 dos cofres públicos.
Areal, mesmo não sendo encontrado pelos oficiais de justiça para que tome ciência de seu afastamento da administração municipal, o seu vice Jairo Cassiano, assumiu o cargo na última sexta feira (14).

MENSALÃO


STF decide pela cassação imediata de parlamentares condenados 
Por cinco votos a quatro, o Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu pela suspensão dos direitos políticos de todos os réus e, por conseqüência, pela perda imediata dos mandatos dos deputados federais João Paulo Cunha (PT-SP), Pedro Henry (PP-MT) e Valdemar Costa Neto (PR-SP). Liberado pelos médicos para voltar ao trabalho nesta segunda-feira, o ministro do STF Celso de Mello, que ficou internado por dois dias para tratar uma gripe, acompanhou o voto do relator do processo e presidente do STF, Joaquim Barbosa.
_ Não se pode vislumbrar o exercício do mandato parlamentar por aquele cujos direitos políticos estejam suspensos. Não faria sentido que alguém privado da cidadania pudesse exercer o mandato parlamentar — afirmou o ministro.
A decisão pode colocar em xeque as relações enrtre os poderes Legislativo e Judiciário. Na semana passada, o presidente da Câmara dos Deputados, Marco Maia, disse que o país pode ter uma crise institucional caso o Supremo decida cassar os três deputados condenados Maia chegou a afirmar ainda que “pode não cumprir” a medida tomada pelo STF.
Antes de iniciar a leitura, Celso de Mello justificou que já tinha o voto pronto há uma semana:
— Eu queria registrar o fato de que já estava pronto para votar na segunda passada, mas, devido ao adiantado da hora, não tive possibilidade de proferir meu voto, que trago agora nesta etapa do julgamento.
O decano do STF começou seu voto reforçando a competência “originária” do Supremo para executar suas sentenças quando não há mais possibilidade de recursos. Além disso, destacou que não há jurisprudência no tribunal para decisão de tal importância:
— Esse tipo de julgamento, examinado na perspectiva dos membros do Congresso Nacional, não foi inteiramente apreciado pela jurisprudência do STF com a profundidade com que está se debatendo agora. O tribunal não firmou diretriz sobre esse verdadeiro litígio consituticional que se instaurou nesta fase da presente causa penal.
Com o recesso do STF programado para começar na quinta-feira, restam apenas duas sessões em 2012: uma nesta segunda, e outra na quarta. Celso de Mello não participou das sessões de quarta e quinta-feira da semana passada, porque uma infecção das vias aéreas.
Apesar de a saúde de Celso de Mello não mais impedir a retomada do julgamento, outro fator pode atrasar sua conclusão: a viagem do ministro Gilmar Mendes a Veneza, na Itália, onde participa de uma reunião como representante do STF. Assim, ele não vai participar das duas últimas sessões do ano. Além da discussão do mandato parlamentar, o STF precisa discutir a proposta de Lewandowski para reajustar as multas aplicadas aos réus condenados. Se a votação terminar em empate, é possível que a questão seja definida apenas em fevereiro, com a retomada dos trabalhos da Corte, para colher o voto de Gilmar.
As informações são de OGlobo

Crise financeira no Acre


Governo dá calote em empresa que realiza reforma em presídios de Rio Branco e funcionários estão com salário e 13º atrasados

Os funcionários da empresa Gespp Construções LTDA, [empresa contratada pelo governo do Acre], para realizar serviços de reconstrução dos presídios Francisco de Oliveira Conde e do complexo penitenciário feminino em Rio Branco estão sem receber seus salários e a primeira parcela do 13º faz mais de dois meses e a empresa alega que o pagamento dos trabalhadores ainda não foi efetuado simplesmente porque o governo do estado do Acre ainda não fez os repasses do montante na ordem de quase hum milhão de reais, tendo em vista a empresa realiza outras obras de melhoria no Parque da Maternidade e outras obras de drenagem e esgotamento sanitário na capital.
Em contato com a gerente da Gespp Construção LDTA, Maria da Conceição, disse que a situação com a falta de pagamento pelo governo ficou insustentável e eles pretendem suspendem todas as obras em andamento, tendo em vista diz que sem dinheiro não há como comprar insumos além de ficarem em situação constrangedora com os seus trabalhadores.

Para Maria da Conceição, disse que “isso jamais aconteceu com a nossa empresa. Sempre respeitamos as nossas metas de medição das obras mas o que o governo vem fazendo conosco é inadmissível. Eles (governo) nos devem em torno de hum milhão de reais. Estamos com nossos salários atrasados, encargos trabalhistas e ainda passivos de multas pela justiça do trabalho. O jeito será suspender as obras”, lamenta a gerente da Gespp.
Inconformada com a situação, a gerente desabafou dizendo que “assim é muito fácil você governar um estado e dizer que vem realizando varias obras quando na verdade não pagam ninguém. Eu respeito muito o governador , [Sebastião Viana] mas eu só posso acreditar que ele não esteja sabendo do que esta acontecendo”, disse.

Em contato com o Diretor do Instituto de Administração Penitenciária do Estado- Iapen, [órgão do governo responsável pelo contrato com a Gespp Construções], Dirceu Augusto,  ele não foi localizado para falar sobre o assunto.

Insistimos porém, falar com a assessora de comunicação do governo Andrea Zillo, desde a semana passada e apesar da mesma  ter garantido uma reposta á nossa equipe de reportagem até a manhã desta segunda feira (17), ela não retornou a nossa ligação.

A cada 48 horas uma pessoa é assassinada no Acre


Assunto vira polêmica nas redes sociais entre jornalistas

Dados divulgados na manhã desta segunda feira (17), pela própria Secretara de Segurança Pública no Acre, revela que a cada 48 horas são registrado ao menos um homicídio no estado.
Em 2012 por exemplo, houveram  177 homicídios para uma população de pouco mais de 600 mil habitantes.
Mas os números divulgados na edição do Diário Oficial, podem ser bem piores, tendo em vista, não houve a contabilização dos crimes onde os homicídios foram registrados dentro dos presídios, homicídios consumados dolosos, (sem intenção de matar), e excluindo-se ainda em área de responsabilidade da União e em decorrência de resistência à ordem legal do policial em serviço.

O assunto, foi timidamente comemorado pelo assessor de comunicação da SESP, Nonato Souza, que tentou por meio de sua conta da rede social do facebook, elogiar o sistema de segurança pública no estado, fazendo uma comparação absurda com a violência no estado de Minas Gerais, quando a população naquele estado segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística de 2012, é de mais de 19 milhões de habitantes e registrou pouco mais de 300 assassinatos.

Nas palavras de Nonato Souza, ironizou  dizendo que “e para quem acredita que Rio Branco é violento porque foram registrados 177 homicídios chupa essa manga; Em novembro houve 308 homicídios em Minas Gerais, segundo informou ao G1 o secretário de Estado de Defesa Social, Rômulo de Carvalho Ferraz. Apesar de representar uma média de mais de dez assassinatos por dia, o número é 6% menor do que no mês anterior, quando o estado teve 327 casos de homicídio”, escreveu o assessor.

Atentos e polêmicos, os jornalistas Salomão Matos e Angélica Paiva,  não pouparam críticas ao assessor de comunicação de Sebastião Viana e rebaterem dizendo que “Caro irmão Nonato Souza, refaça suas contas por favor antes de babar o idiota desse teu governo sem competente. É esse tipo de comentário que as vezes queima e esconde números reais. Veja sé ; . O Acre tem hoje uma população de quase 700 mil habitantes. ou seja, se foram assassinados 177 pessoas, isso dá média de um homicídio por dia CORRETO?  Agora por outro lado, segundo dados do IBGE 2012, a população de Minas Gerais tem 19.855.332 (milhões de habitantes), perdendo apenas para o estado de São Paulo com 41.901.219. Agora se em Minas houve 327 casos de homicídio, divida os 19.835.332 por 365 dias do ano e terá a exata noção qual estado é mais violento, se o nosso Acre ou estado mineiro. CHUPA ESSA MANGA isso sim. Não dá para tampar o sol com peneira amigo, correto?”, rebateram os jornalistas. 

Alunas do IFAC caminham 12km e enfrentam até onça para estudar


Em Xapuri no Acre  

Conhecer a realidade de quem caminha 12 quilômetros, por dia, para frequentar as aulas do curso de Biotecnologia, no horário vespertino do Campus de Xapuri da Instituto Federal do Acre (IFAC/Campus Xapuri), este foi o objetivo da visita da comitiva de gestores do IFAC no último dia 10 de dezembro às residências das alunas Carolayny Lima Rocha, Mares Meira Rodrigues Ferreira e Railane Silva de Azevedo, localizadas no Ramal da Piçarreira, em Xapuri.


As três alunas moram no Ramal da Piçarreira, localizado a 50 km (totalizando 100km, ida e volta) antes da entrada da estrada que dá acesso a Xapuri, e se deslocam, muitas vezes, sem alimentação e com os riscos da floresta (relatam ter encontrado onça e cobra pelo caminho). Elas recebem o apoio de transporte da instituição da estrada de acesso a Xapuri até a sede da unidade. “Este apoio é o mínimo que podemos oferecer para quem tem interesse em estudar. Só para se ter ideia de tempo, as alunas saem de casa por volta das 9 horas da manhã e retornam à noite, por volta das 10 horas”, disse o diretor do IFAC/Campus Xapuri, Sérgio Flórido.

A comitiva, composta pelo o reitor Pro Tempore do IFAC, professor Breno Silveira, de pró-reitores e outros membros da gestão, percorreu, a pé, alguns deles descalços, o trajeto feito pelas alunas, caminhando aproximadamente três horas, enfrentando lama e piçarra. “O caminho é difícil, principalmente no dia da visita, por havia chovido muito pela manhã. Enfrentamos lama e o barro escorregadio, mas fomos ouvir os pais das alunas para saber de que forma a instituição pode colaborar e incentivá-las a continuar os estudos”, disse o reitor Breno Silveira, após a visita.

Apesar das brincadeiras dos colegas, que as chamam de “colonheiras” ou “seringueiras”, por não morarem na sede do município, elas se mantêm comprometidas com o estudo. "Mesmo, assim, elas não desistem e a visita que nossos gestores estão realizando hoje, serve de estímulo para mostrar que é importante que continuem os estudos", afirmou Sérgio Flórido.

Segundo Raimundo Barroso de Azevedo, pai da aluna Railane, as brincadeiras até podem prejudicar o desempenho da filha, mas tem conversado para que ela não desista. “Além de percorrer uma longa extensão a pé minha filha ainda sofre com algumas brincadeiras, mas tenho conversado com a Railane para que não desista de estudar. O apoio do transporte que o IFAC oferece é muito bom e tem contribuído para que a minha filha continue estudando”.

A visita sensibilizou os gestores que se comprometeram em melhorar cada vez mais as atividades institucionais. “Ficamos felizes em colaborar com a mudança na vida de pessoas como as alunas que visitamos e fortalecer o papel do IFAC, de levar educação federal, gratuita, ocasionando mudanças na estrutura social”, disse Breno Silveira.

As informações são do IFAC

25 de set de 2012

Servindo de "BUCHA"

Mais perdido que cego em tiroteio, novato vice presidente do senado Aníbal Diniz (PT), manda casa pagar dívida de senadores com o I.R nos últimos cinco anos 

O novato e recém empossado, vice-presidente do Senado, Anibal Diniz (PT-AC), afirmou nesta terça-feira (25) que a Casa vai pagar o imposto de renda não recolhido por senadores sobre o 14º e o 15º salários, referente aos últimos cinco anos. 

No início de agosto, a Receita Federal enviou intimações para os gabinetes, cobrando o pagamento do tributo no período entre 2007 e 2011.

"Ficou uma dúvida, mas não foi culpa dos Senadores. A Mesa adota a posição de fazer o ressarcimento devido. A Casa reconhece que se houve falha, a Casa vai fazer o pagamento", disse o vice-presidente do Senado.

A decisão sobre o pagamento foi tomada na reunião da Mesa Diretora na tarde desta terça. Anibal Diniz não soube informar valores devidos. Segundo ele, o pagamento deverá ser feito pela Casa até o mês de outubro. A assessoria do Senado informou que deve divulgar uma nota a respeito do assunto.

Por uma suposta falha da área administrativa da Casa, os descontos dos tributos deixaram de ser feitos. Na ocasião, o presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP) negou erro e disse que um decreto do próprio Senado isentava o pagamento sobre os salários extras, considerados ajuda de custo. Ele acrescentou que cada senador deveria responder individualmente a intimação da Receita.

No começo de maio, os senadores aprovaram em plenário o projeto de decreto legislativo que acaba com os 14º e 15º salários pagos anualmente aos senadores e deputados federais. O projeto é de autoria da senadora licenciada Gleisi Hoffmann, hoje ministra-chefe da Casa Civil.

A proposta ainda precisa ser apreciada pela Câmara dos Deputados e, caso seja alterada, volta para o Senado. Ao final da tramitação, o próprio Congresso promulga o decreto.

Atualmente, cada parlamentar recebe R$ 26,7 mil por mês, fora benefícios, como plano de saúde, cota para gastos de gabinete (que cobre telefone, correspondências, transporte, entre outras despesas), além de passagens áreas.

Com informações do Portal G1

30 de mai de 2012

Isso pode?

Ministra de Direitos Humanos pede votos a Marcus Alexandre (PT) durante encontro político na Baixada da Sobral em Rio Branco


Paralelo a agenda oficial da Ministra de Direitos Humanos da Presidência da República (SDH), Maria do Rosário, que participa nesta quarta (30) e amanhã (31), no Acre da 2ª Caravana Nacional dos Direitos Humanos, ela aproveitou a noite de ontem para participar de um mini comício organizado pelo Coordenador Estadual do Programa Luz Para Todos no Estado, Pelezinho, para pedir votos ao pré-candidato da Frente Popular, Marcus Alexandre Medici, a um grupo de pessoas, evento esse realizado na baixada da Sobral, considerado o maior colégio eleitoral da capital.

Mais cedo, assessores do próprio governo do PT, [mesmo partido de Alexandre], bombardeavam mensagens nas redes sociais pelo facebook e twitter, convocando quem quisesse participar do que chamaram de “grande ato público” na Baixada, anunciando porém a quem fosse , seria servido um jantar para todos, logo após os discursos.

Durante a fala da Ministra aos presentes na Baixada da Sobral, sem nenhuma cerimônia e muito menos se importando com as regras das Leis Eleitorais que veda qualquer campanha antecipada antes dos períodos estabelecidos e muito menos sobre a proibição de pedir votos á quem quer que seja fora de época, ela disse que “eu quero agradecer a presença dessa comunidade, as pessoas que estão aqui conosco mostrando que a integração e a adversidade é tão bonita da gente conviver. Quero lançar o nosso candidato a prefeito e dizer que o Marcus Alexandre que (...) a gente quando vê um candidato num instante a gente diz assim; poxa ele olha pra gente e ele ta interessado só no voto. E eu percebi uma coisa no Marcus aqui quando ele falou com vocês, que o interesse dele é fazer um trabalho muito sério e seguir um projeto que ta em curso e que ele conhece Rio Branco. Conhece a situação da vida dos bairros e ele trabalha e trabalhou lado a  lado com o prefeito que esta concluindo o seu mandato e acima de tudo ele está buscando a confiança da comunidade, pra seguir este trabalho, mostrando o que já foi feito e olhando também á frente dizendo como é que vai fazer. Nessa época aparece muito candidato que mostram palavras que saem apenas pela boca. Eu queria cumprimentar o Marcus Alexandre e ele falou que tem coração por vocês. Que tem humildade também e eu acho que um candidato que se coloca desse jeito á frente de sua comunidade, ele merece o apoio da gente (palmas).

Antecipando o ponto alto do evento, que seria o discurso do pré-candidato da FPA Marcus Alexandre (PT),  ainda foi cantado ao som de teclado e voz o Hino Acreano, além de tradução da letra por profissionais de linguagem de sinais (libra), tendo em vista, uma organização de surdos da comunidade, se fazia presente ao encontro.
Em um dos trechos do discurso de Medici, lembrando da derrota nas urnas na eleição passada na capital acriana, disse que “precisamos da união do estado e da prefeitura, pois estamos diante de uma das campanhas mais difíceis  que já enfrentamos, uma campanha que ainda vem de um resultado que todos nós saímos com a vitória mais cabisbaixo. A oposição já trabalha como vencedora, pensa que vai ganhar. O candidato principal deles já esta até nomeando seus secretários, mas se esquecem da nossa força, da nossa energia, mas precisamos fazer campanha, trabalhar muito pela nossa cidade que a gente quer. Nossa campanha esta apenas começando mas já ficou claro uma coisa, nós estamos buscando os debates das propostas, das idéias enquanto eles estão se engalfinhando disputando o poder. Esse ano é ano de Olimpíadas, nós vamos deixar que eles fiquem com a prata e o bronze e tenho certeza que o ouro é nosso”, finalizou o pré-candidato agradecendo sob aplausos.

Contrariando a Lei da Propaganda  Intrapartidiária, liberada desde o  último sábado (26) pela Justiça Eleitoral, que permite a divulgação de campanha somente dentro dos partidos políticos, assessores do governo do Partido dos Trabalhadores mais cedo, difundiam o evento pelas redes sociais na internet, oferecendo inclusive um jantar  a quem fosse ao “grande ato público” com endereço específico no bairro do Aeroporto Velho, Nº53 á Rua Plácido de Castro na Baixada da Sobral.

No entendimento do Ministro do Tribunal Superior Eleitoral, Henrique Neves sobre a Propaganda Intrapartidária, irregular, sua posterior divulgação pela internet, extrapola os limites da exceção prevista no dispositivo do art. 36-A, II, da Lei nº 9.504/97. 2 mencionado, pois, além de noticiar o apoio prestado, visa difundir a candidatura.

Em contato com Promotoria Eleitoral no Acre, informaram que precisaria ouvir o conteúdo das gravações dos discursos dos presentes ao evento político e em que condições aconteceu o mini comício em prol da candidatura de Marcus Alexandre.

O MPE informou ainda, se houver de fato quebra das regras vigentes na Legislação Eleitoral, irão tomar as providencias na forma como manda a Lei.

27 de mar de 2012

Péssimo exemplo

Gangues rivais de alunos agendam brigas pela internet e se enfrentam na saída das escolas


Uma denúncia anônima ao 190 do Centro Integrado de Operações Policiais no Acre levou os homens do Grupamento Águia e do Policiamento Escolar ao portão de saída da escola Neutel Maia no bairro Bosque de Rio Branco, na tarde desta terça-feira (27), onde Gangues rivais de alunos travaram uma briga generalizada e trocavam socos e ponta pés entre eles.


O problema, pode ser apenas a ponta de um iceberg, onde conflitos armados entre escolares estão sendo agendados nas redes sociais pela internet, segundo investiga a PMAC.

A modalidade segundo a oficial da Rádio Patrulha Escolar da PMAC, vem sendo monitorado desde o final do ano passado, no entanto nunca haviam chegado a tempo de apreender os autores, sendo desta vez, pelos menos 9 menores foram apreendidos em flagrante e levados para prestar depoimento na Delegacia do Menor, onde os pais devem ser responsabilizados.

Após a denúncia anônima, na ação da PM foi preciso quatro viaturas com pelo menos quatro homens cada, para fazer o cerco e apreender os alunos. A correria foi geral e muitos ainda conseguiram escapar pulando o muro das dependências da escola e se evadiram do prédio.

Segundo ainda o oficial do grupamento escolar, além da escola Neutel Maia, esse tipo de conflitos entre alunos já foi registrado nas escolas da rede pública José Rodrigues Leite e Colégio Acriano, sempre nos horários de entrada e saída dos escolares e a média de idade dos alunos é entre 14 e 17 anos.

25 de fev de 2012

Nível do rio Acre baixa mais de 4m em Xapurí mas na capital sobe mais 0,01cm

A leitura realizada as 6h da manhã deste sábado (25) pela Defesa Civil Estadual no Acre, aponta que o nível do rio Acre subiu mais 0,01cm, marcando em sua calha mais profunda esta manhã 17,58m, faltando somente 0,08cm para alcançar a marca histórica registrada no ano de 1.997, quando o nível do rio atingiu a marca de 17,66m.

A boa notícia vem do interior nas cabeceiras por onde o rio Acre passa. Em Xapurí por exemplo, o volume de água do rio Acre baixou mais de 4m nas últimas 24 horas  e naquela cidade, o nível do rio que marcava até ontem 15,26m agora mede somente 11,16m, saindo da situação de risco de nova enchente.

24 de fev de 2012

Sinístro

Funcionário público que estava trabalhando como voluntário na alagação de Rio Branco morre eletrocutado na 6 de Agosto

Um voluntário que auxiliava as vítimas da enchente do rio Acre, na região do bairro Seis de Agosto em Rio Branco, morreu eletrocutado e um outro ficou gravemente ferido no final da manhã desta sexta-feira (24).
O acidente, segundo a reportagem conseguiu apurar, aconteceu depois que a companhia elétrica desligou o sistema de distribuição para evitar acidentes, mas alguns moradores, a revelia, improvisaram uma rede clandestina com rabichos que serviram como condutor de energia no local onde o voluntário distribuía cestas básicas.
O funcionário público estadual foi identificado como sendo Alan Moreira. Ele era lotado no Deracre.

Marcus Alexandre lamenta pelo twitter morte de funcionário que trabalhava como voluntário

O diretor do Departamento de Estradas e Rodagens do Acre- Deracre, Marcus Alexandre, lamentou agora a pouco pelo twiiter, a morte do funcionário público lotado naquele órgão, Alan Moreia, que trabalhava como voluntário no auxilio as vítima das enchente e que morreu eletrocutado quando distribuía cestas básicas na região do bairro Seis de Agosto, no Segundo Distrito de Rio Branco.
Nas suas palavras Marcus Alexandre no twitter, disse que “acabamos de sair do local do acidente e seguimos ao IML. Que Deus possa confortar a família neste momento”.

Tião Viana "O pai de todos os projetos"

Depois de adotar projeto de Tijolinho como filho caçula, Tião Viana abraça projeto de Bocalom como  fosse seu primogênito

Depois de adotar como filho caçula o programa de tijolamento de todas as ruas do Acre, [programa de governo esse criado pelo então candidato do PRTB Antônio Gouveia, que o tornou conhecido por (TIJOLINHO)], o governador do Acre Tião Viana (PT), com anuncio na manhã desta sexta-feira (24), sobre a construção do projeto Cidades do Povo, para abrigar as famílias alagadas pela enchente do rio Acre, mais uma vez se apodera do também programa do pré candidato tucano, Tião Bocalom (PSDB), quando anunciava à época das eleições, caso eleito fosse,  construir o Bairro da Liberdade para famílias carentes que residem em áreas consideradas de risco tanto na capital quanto no interior do estado.

Ainda durante as propostas de campanha para o governo nas eleições, Bocalom chegou a ser chamado de insano e lunático pelos seus opositores, tendo em vista diziam seus adversários, governar uma simples cidadezinha do interior, se referindo a Acrelândia, da qual Bocalom foi prefeito por dois mandatos, era muito diferente e ele não tinha a mínima noção de como governar um estado inteiro

“O projeto de Tão Viana”, foi apresentado hoje aos ministros Fernando Bezerra e Aguinaldo Ribeiro como a fórmula mágica para acabar de vez com o problema da enchente no estado, que vem a cada ano desabrigando milhares famílias.

 Os senadores Sérgio Petecão (PSD), Jorge Viana (PT) e Aníbal Diniz (PT) também puderam conhecer de perto a solução considerada definitiva para resolver o problema dos desabrigados pelas enchentes no Acre.

23 de fev de 2012

Luiz Calixto diz que alagados vivem na invisibilidade da arrogância do governo

Anonimamente e sempre fugindo das lentes dos repórteres para não parecer estar querendo tirar proveito político,  o pré- candidato a prefeito de Rio Branco Luiz Calixto, praticamente montou acampamento nos bairros da parte baixa da cidade e sua rotina desde que o rio Acre alcançou a cota de transbordamento tem sido literalmente com os pés na água ou dentro de embarcações  rio abaixo rio acima ajudando as famílias desabrigadas pelo manancial.

Natural de Tarauacá onde desde pequeno é acostumado a manobrar pequenas embarcações pelo rio Murú, quem não conhece esse lado prático do ex parlamentar fica impressionado com sua habilidade ao remo seja nas ruas alagadas ou mesmo no  leito profundo do rio completamente alagado .

Sem querer dar entrevistas, Calixto pediu a nossa reportagem que não o fotografasse , explicando que o momento não era de aparecer. “Quem deve ser fotografado são essas pessoas anônimas que vivem na invisibilidade da arrogância do nosso governo. Estou aqui como mero cidadão comum como tantos outros solidário a essa gente. O momento serve de reflexão para que os futuros governos acordem e fiquem sabendo que aqui nessas áreas de risco moram seres humanos” desabafou  Calixto remando para fora dos alcance de nossas lentes.

Enchente

Ministro da Integração Nacional vem ao Acre nesta sexta-feira

O ministro da Integração Nacional, Fernando Bezerra, vem ao Acre nesta sexta-feira, 24, para acompanhar a situação da enchente dos rios, que já atinge mais de 65 mil pessoas em nove cidades. O ministro deverá sobrevoar áreas alagadas junto com o governador Tião Viana e o chefe da Defesa Civil Nacional, Armin Braun. Há 16.798 pessoas alojadas em abrigos públicos, 5.551 somente na capital Rio Branco. No boletim divulgado ao meio-dia pela Defesa Civil, o nível do Rio Acre manteve a medida de 17,50 metros, a mesma verificada às 9 horas de hoje.

Todo o trabalho de prestação de socorro à população das áreas urbanas e rurais e que está nas comunidades indígenas e ribeirinhas é desenvolvido em parceria entre as prefeituras, governo do Estado e governo federal. Exército, Aeronáutica, Força Nacional, servidores públicos e voluntários ajudam na retirada de famílias das regiões alagadas. Três aeronaves (um avião Hércules da FAB e dois helicópteros) percorrem os municípios levando mantimentos e remédios. A presidente Dilma Rousseff anunciou a liberação de R$ 1 milhão, que será usado para a compra de alimentos, água potável, produtos de higiene e limpeza.

Além dos municípios do vale do Rio Acre (Assis Brasil, Xapuri, Brasileia, Epitaciolândia, Porto Acre e Rio Branco), estão sendo afetados pelas enchentes as cidades de Cruzeiro do Sul, banhada pelo Rio Juruá; Santa Rosa do Purus e Manoel Urbano, pelo Rio Purus; e Sena Madureira, pelo Rio Iaco. Na desembocadura do Rio Acre, já em Boca do Acre (AM), a água está fluindo desde ontem quando o Rio Purus começou a baixar, evitando o represamento.

A Secretaria de Educação de Rio Branco atualizou na manhã desta quinta-feira, 23, o número de escolas fechadas por conta da cheia do Rio Acre e seus afluentes.  Já são 15 escolas atingidas, sendo duas rurais, totalizando 3.351 alunos afetados pela alagação. As escolas não atingidas funcionam normalmente nas redes estadual e municipal. A  prefeitura de Rio Branco optou por  não decretar  ponto facultativo.

O governo do Acre decretou ponto facultativo nesta quinta-feira e somente órgãos públicos e serviços essenciais das áreas de saúde, segurança e educação estão funcionando. No balanço de hoje, a Secretaria de Educação do Estado contabilizou 20 escolas urbanas e uma rural atingidas pela enchente do Rio Acre. As aulas foram suspensas também nas unidades de ensino administradas pelo município de Rio Branco, onde estudam mais de três mil alunos.

Isolados pela enchente do rio Acre usam sinais de fumaça e panos brancos para pedir ajuda aérea

Depois dos apelos pela Rádio Difusora Acreana na manhã desta quinta-feira (23), via telefone, um grupo de pelo menos 50 famílias que encontravam-se isolados pela enchente do rio Acre no seringal Capatará, [região do Projeto de Assentamento Benfica], foram avistados pela tripulação do helicóptero da Força Nacional de Segurança, que sobrevoava o perímetro na esperança de localizá-los levando alimentos e água potável.
Segundo informações preliminares, o contato visual só foi possível, depois que os moradores isolados pela enchente conseguiram por meio de sinais de fumaça e com aceno de panos brancos serem percebidos pela tripulação do helicóptero.

Isolados pela enchente, 50 famílias passam fome e sede no seringal Capatará, no Acre

Por telefone, um grupo de pelo menos 50 famílias que encontra-se isoladas pela enchente do rio Acre no seringal Capatará, [região do projeto de assentamento Benfica], pediu ajuda através da Rádio Difusora Acreana às autoridades para que possam ir até a localidade e auxiliá-los no resgate ou levar água potável e alimentos, tendo em vista as plantações foram perdida com a cheia do rio e não dispõe de absolutamente nada para beber ou se alimentarem.

Dado as péssimas condições do sinal de telefonia, apenas foi possível entender que ao todo são famílias assentadas pelo Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária INCRA e que vivem naquela região e estão precisando de toda ajuda possível.
Preocupado com a  situação das famílias  e a  perda do sinal de telefonia que caiu, o apresentador do programa Gente em Debate, Washington Aquino, apelava para que o morador do seringal que fez contato ligasse novamente e disponibilizou o seu número pessoal de celular 8418 7161 para que possa ser possível saber a localização exata onde as famílias encontram-se isolados e ser possível fazer o resgate pela Defesa Civil Estadual.
Em seguida o apresentador informou que a Defesa Civil irá levar mantimentos e água através de um helicóptero.
Na zona rural a enchente é mais dramática por causa do isolamento que há em função da falta de comunicação e de acesso terrestre.

Membro do esquadrão da morte apela na justiça para não perder patente de militar no Acre

Consta na pauta de julgamento desta quinta-feira (23),  o  julgamento de apelação do réu Manoel Maria Lopes, (O coroinha), preso  acusado de  ser o braço forte e o homem de confiança do ex coronel da PM no Acre, Hildebrando Pascoal,  acusado de ser o chefe do Esquadrão da Morte no Acre na década de 90.
No processo Nº 0001051-62.2011.8.01.0000, Coroinha que é policial militar, é acusado pelo Ministério Público de ser um dos responsáveis pelo seqüestro de Clerisnar Alves, esposa de Agilson Firmino (Baihano), assassinado a golpes de motosserra , e apela para não perder  sua patente da corporação da PMAC.

22 de fev de 2012

Deu na Veja

Tião Viana, do PT, usa balas de borracha, gás de pimenta e bombas democráticas de efeito moral para conter reacionários disfarçados de pobres no Acre. Desde Canudos, a gente sabe que miserável precisa aprender a ser progressista

Já que a Dilma Rousseff, a Maria do Rosário, o José Eduardo Cardozo e o Gilberto Carvalho — aquele que lida com os “movimentos sociais” — não vão mesmo dar a menor pelota para o que se passa no Acre, resta a mim tirar a notícia do âmbito apenas regional. Tivesse acontecido a coisa num estado administrado por algum adversário do PT, é claro que estaria na chamada “mídia nacional”, né? Qualquer provocação de um bando de maconheiros do miolo mole em São Paulo merece mais destaque nos noticiosos nacionais do que balas de borracha nos pobres do Acre.
Faz sentido. Raciossimeiem comigo… Ah, em tempo: o verbo “raciossimear”deriva do substantivo “raciossímio”, que consiste em pensar com o apuro e a delicadeza de um macaco — progressista é lógico. Fica a um percentual mínimo de um pensamento humano, se é que me entendem. A diferença entre um macaco e um petralha está apenas na inabilidade de um deles para subir em árvores.
Raciossimeemos, pois, com eles, os petralhas. Se um estado é governado por um partido reacionário, conservador, de direita, porco e capitalista, então é claro que todo confronto com a polícia será protagonizado por revolucionários, progressistas, de esquerda, decentes e socialistas. Assim, estando o PT no poder, é evidente que toda revolta de pobre é, antes de mais nada, expressão da reação. Caramba! Não é assim desde Antônio Conselheiro? Ou vocês não sabem que aqueles analfabetos de Canudos eram monarquistas sabotando os progressistas da República???
Quem governa o Acre? É o companheiro Tião Viana, do PT, com o apoio da companheira ex-verde (hoje “nova política”) Marina Silva. No dia 14 de julho do ano passado, para comemorar os 221 anos da Queda da Bastilha, marco oficial da Revolução Francesa e do fim do despotismo, a polícia do Acre desceu o porrete em alguns invasores de terra, numa operação de reintegração de posse. Um índio ficou cego de um olho, atingido por um bala de borracha. Dilma, Maria do Rosário, José Eduardo Cardozo e Gilberto Carvalho não quiseram nem saber. Contei o caso aqui.
Pobre reacionário tem mais é de tomar chicote no lombo e bala de borracha no olho para aprender a distinguir a história de um trocadilho. Os “petês” só saem gritando “Fogo na floresta!”, como no filme Bambi, quando é a polícia de São Paulo a restabelecer a ordem, geralmente conturbada por ação da companheirada.
Pois bem. Reproduzo abaixo um post de hoje do site Acre 24 Horas. Mais uma vez, fica claro que pobre reacionário não se cria com Tião Viana, não! Ele manda é descer a borracha. E nada de Dilma, Maria do Rosáro, José Eduardo Cardozo e Gilberto Carvalho… Leiam. Volto em seguida:
Por ordem de Tião Viana, Policia Militar dispersa manifestação de desabrigados que fechou a quarta ponte na base da bala, gás de pimenta e bombas de efeito moral
Por Ray Melo:
Desabrigados do Bairro Seis de Agosto, que fecharam a quarta ponte na noite desta terça-feira, 21, em protesto pelo corte no fornecimento de energia em áreas atingida pela água do Rio Acre, foram dispersados pelo Batalhão de Operações Policiais Especiais (BOPE) em uma operação que deixou mulheres e crianças feridas pelos disparos de balas de borracha.
Os manifestantes fecharam o acesso à ponte que liga a Avenida Amadeo Barbosa ao bairro Habitasa. Um assessor do Governo do Estado esteve no local para negociar com os manifestantes, afirmando que o fornecimento de energia seria restabelecido na quarta-feira, 22, após as 12h, mas os desabrigados não aceitaram a proposta e mantiveram o bloqueio.
Os militares do BOPE chegaram ao local e iniciaram as negociações, que terminou com disparos de balas de borracha, gás de pimenta e bombas de efeito moral. Os manifestantes fizeram um cordão de isolamento com crianças e mulheres, mas não foi suficiente para conter os militares que dispersaram a multidão com o uso da força.
Segundo informações de moradores, os policiais agiram precipitadamente. “Nós estávamos nos dirigindo aos objetos usados no bloqueio para fazer a retirada, mas os policiais entenderam que nós estávamos querendo pegar os objetos para agredi-los. Nunca vi nada parecido. Os policiais trataram civis, como verdadeiros bandidos nem as crianças escaparam”, diz o morador João Silva.
O comando da Polícia Militar se justificou afirmando que os policiais foram obrigados a agir. Um militar que não quis se identificar, afirmou que a ordem “partiu de cima”. Uma pessoa ligada à administração de Tião Viana (PT) esteve no local para tentar impedir o trabalho de jornalistas que faziam a cobertura da ação policial.
Encerro
Os pobres do Acre precisam achar o seu gigolô. Só os cafetões da pobreza, que se dizem representantes de “movimentos sociais”, conseguem dialogar com governos petistas. Sem eles, é gás de pimenta no olho! E sem esquerdista para sair gritando “Fogo, fogo na floresta!”

Por Reinaldo Azevedo