28 de set de 2009

SOFRIMENTO E DOR


Mãe luta contra o Estado para salvar a filha que toma 15 injeções de insulina por dia


25/09/2009 - 19:37

Processo Nº 00109018624-0. Esse seria apenas mais um número no meio de tantos outros milhares que tramitam na 2a. Vara da Fazenda Pública no Fórum de Rio Branco, não fosse pelo detalhe que conta a saga da vida contra a morte de uma garota de apenas 13 anos que luta contra um tipo raro de Diabetes. Por questões éticas ac24horas irá chamá-la de Karina, uma menina meiga, linda, inteligente e disposta a viver. Numa entrevista exclusiva com ela e a mãe, iremos contar aqui como é ser, desde o 7 anos de idade, furada com agulhas ao menos 15 vezes por dia para a aplicação da medicação necessária para a sua sobrevivência e ainda, de hora em hora ter de furar os dedos para medir o grau de glicose [açúcar no sangue]. A mãe dela , a senhora Claudia Patrícia Menezes, teve de entrar com processo na justiça contra o estado para a aquisição de um aparelho -Sistema de Infusão Contínua de Insulina - que custa R$ 12 mil para amenizar o sofrimento da filha. O pior de tudo é que o governo do Acre se nega a pagar pelo equipamento.

ac24horas - Dona Cláudia, como foi que a senhora descobriu que a Karina tinha essa doença?

Mãe de Karina - Ela foi uma menina saudável até os 7 anos de idade. Daí pra frente ela começou a ter constantes náuseas e vômitos . Foi quando a levamos ao médico e os exames constaram que ela tinha um tipo raro de Diabetes do topo 1. Ela desenvolveu um outro tipo ainda mais raro da doença: a Síndrome de Mauriac , que afeta uma pessoa em cada um milhão, segundo estudos da OMS.

ac24horas - Como foi que a senhora recebeu essa informação do médico de que sua filha teria de passar por esse tormento, de ter que ser furada para aplicação da medicação de forma quase que contínua?

Mãe de Karina - Quando a doutora me falou a gravidade da doença da minha filha, o chão saiu dos meus pés. Eu via ela tão frágil e muitas vezes eu rezava para que tudo isso fosse mentira e que não passasse de um pesadelo. Mas era, e é real e eu estou aqui do lado dela. Sempre e para sempre. Eu morreria pela minha filha.

ac24horas - A senhora disse que andou pesquisando e por orientação do médico, soube que existia um equipamento que poderia amenizar o sofrimento das agulhadas, um aparelho - Sistema de Infusão Contínua de Insulina. Como funciona esse equipamento?

Mãe de Karina - Esse aparelho de infusão funciona como um relógio, do tamanho de um MP3. Você o programa e ele dentro das horas prescritas pelo médico, vai aplicando a insulina no organismo. Com o aparelho ela não teria de ser furada tantas vezes ao dia.

ac24horas - A senhora fala com tanta propriedade desse tipo raro da Diabetes que parece até um especialista...

Mãe de Karina - De fato eu já pesquisei tudo sobre a diabetes e sobre esse tipo raro que adoece minha filha. Sou mãe e o que for preciso, possível e o impossível eu farei para que ela tenha um futuro melhor e sem sofrimento.

ac24horas - E esse aparelho, a senhora disse que a Karina o usou por quase dois meses. Porque não está usando mais?

Mãe de Karina - Entramos em contato coma empresa que representa a venda desse equipamento, e disseram que o preço mínimo é de R$ 12 mil. Falei do problema da minha filha e daí eles mandaram um técnico responsável aqui e colocaram o equipamento na Karina como um teste drive por um período de um mês. Eu nunca vi, minha filha tão feliz. O aparelho era maravilhoso e parecia que a vida saudável tinha voltado para ela. Ela nunca sorriu tanto nesse curto tempo que esteve com o equipamento. Então passou o prazo do teste drive e eles vieram buscar o equipamento.

ac24horas - Foi ai que a senhora decidiu acionar a justiça para que o estado comprasse esse equipamento que custa R$ 12 mil?

Mãe de Karina - Depois que eles levaram o aparelho de volta , eu vi a minha filha definhar. Ela fica triste pelos cantos e a volta das agulhadas direto; isso me dói muito. Então decidi lutar ainda mais e decidi entrar na justiça, até porque sei que nesses casos raros de doença o estado tem uma certa obrigação. Foi ai que começou essa guerra.

ac24horas - Por que a senhora classifica essa briga na justiça contra o estado como guerra?

Mãe de Karina - Eles alegam que não podem comprar o equipamento porque é caro e que se eu ganhasse o caso na justiça outras pessoas que sofrem com diabetes, mesmo do tipo mais comum poderia entrar na justiça também para requerer o mesmo tipo de equipamento. Eu disse que o que estava em jogo era a vida da minha filha e não me importava com mais nada.

ac24horas - Karina, vejo que você mesma enquanto eu estava aqui fazendo a reportagem, furou os dedos ao menos 3 vezes e agora você mesma faz uma aplicação de insulina. Como é que é isso?

Karina - Esse aparelhinho - Aparelho Glicêmico - aqui mede o grau de açúcar que eu tenho. Uma pessoa normal tem entre 70 e 110 de açúcar no sangue, como você pode ver aqui ele ta marcando 589, eu já pesquisei na internet e minha médica também disse que muitas pessoas quando chegam nesse grau, ela podem até entrar em coma. Eu já cheguei a marca dos 600 e graças a Deus ainda estou aqui.

ac24horas - Vejo que você se furou algumas vezes na ponta dos dedos, não dói?

Karina - As vezes eu fico tão machucada que não consigo tocar em nada. As vezes quero falar com uma amiga pelo computador mas evito. Dói muito a ponta dos meus dedos.


ac24horas - Agora uma boa notícia... A Juíza Regina Longuine da 2a. Vara da fazenda Pública, condenou ontem [quinta-feira, 24/09] o estado e a prefeitura para que num prazo de 10 dias, a contar de ontem mesmo, a adquirir um aparelho -Sistema de Infusão Contínua de Insulina- para a Karina e que em caso de descumprimento, eles terão de pagar multa no valor de R$ 2 mil ao dia. Como a senhora vê essa notícia?

Mãe de Karina - Meu filho eu estou no céu. Só de pensar que minha filha nunca mais vai ter que usar essas agulhas, que ela vai poder voltar a fazer natação, freqüentar as aulas normalmente e tudo que uma criança comum faz. Eu só tenho a agradecer a Deus: muito obrigado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário