31 de mar de 2011

Estado nega volência em invasão

Governo do Acre nega uso da violência contra invasores

Criança foi atingida com balas de borracha
Na versão oficial do governo do estado, em relação o despejo das famílias sem teto que ocuparam as 295 casas do Conjunto Habitacional Ilson Ribeiro, no bairro Calafate, em Rio Branco-Ac, não houve feridos durante o conflito, muito embora admita o uso da força com balas de borracha contra os invasores.
“Os manifestantes jogaram paus, pedaços de tijolo e pedras na polícia e partiram para o ataque. A polícia reagiu com balas de borracha para dispersar os manifestantes, mas nenhuma delas atingiu qualquer invasor”, garante o sub comandante da PMAC, coronel Paulo César.
Muito embora as imagens feitas pelos jornalistas impedidos de fazer o registro, a revelia da PM, mostrarem crianças e mulheres grávidas com lesões pelo corpo, a versão oficial foi mantida e que tudo transcorreu na mais absoluta tranqüilidade.
O próprio secretário de justiça e direitos humanos Henrique Corinto, que acompanhou a reintegração de perto, em nenhum momento houve o uso da violência. Mas uma mulher grávida de sete meses, afirma ter sido pisoteada após ter sido jogada no chão pelos PMs e que temia ter perdido o seu bebê. Duas crianças [uma de cinco e outra de três anos], apresentavam hematomas no corpo causado por balas de borracha.
Até o momento, nenhum comunicado oficial dos Ministério Público Estadual e Federal foi emitido, no sentido de investigar se houve abusos por parte dos policiais durante a reintegração das 295 casas ao governo. Confira íntegra da versão oficial do Governo do estado do Acre: http://www.agencia.ac.gov.br/index.php?option=com_content&task=view&id=15236&Itemid=26
Salomão Matos 

Nenhum comentário:

Postar um comentário