23 de set de 2009

MPE PEDE PENA MÁXIMA PARA HILDEBRANDO PASCOAL



Na última parte de seu debate, o promotor Leandro Portela disse que o ex-deputado Hildebrando Pascoal, nega sua participação em todos os crimes com o objetivo único da impunidade. Ele citou uma frase do Bispo Dom Moacir, que diz: "enquanto um homem morrer impunemente no Acre, não seremos dignos de celebrar a eucaristia".

O promotor voltou a se emocionar no final de seu pronunciamento, afirmando que ninguém vai calar a voz do Ministério Público do Acre e chamando atenção do Corpo de Sentença, para a responsabilidade imensa de representarem mais de 600 mil habitantes. Indo mais além, Portela disse que o Conselho de Sentença representa o Brasil nesse julgamento.

"Os senhores foram iluminados por Deus quando sorteados para virarem essa página na história". O promotor entregou a sua moral, a sua ética ao Conselho de Sentença, pedindo a condenação de Hildebrando Pascoal. O promotor fez uma homenagem a família de "Baiano", que segundo ele, veio ao Acre com o sonho de ser feliz. Citando a frase da filha de Agilson, ele relembrou o trecho em que ela disse que "não tinha uma fotografia do pai".

"Nuca tive tanta convicção de um processo como tenho nesse. Eu empenho a minha vida nas mãos de vocês jurados, afirmando que esse "homem é responsável e deve ser condenado por esse crime. Por isso peço a pena máxima e indenização de R$ 500 mil para a família da vítima", concluiu o promotor.
O Juiz Leandro Gross suspendeu o julgamento para o almoço. À tarde, os trabalhos retornam com o debate da defesa de Hildebrando Pascoal, Adão Libório e Alex Fernandes

Nenhum comentário:

Postar um comentário