7 de abr de 2011

Opinião


Abaixo os Direitos Humanos e Salve a Vida
Wellington Menezes de Oliveira (foto G1)

Não me admira em nada, se os ativistas dos direitos humanos queiram fazer algum manifesto contra a ação do policial militar que atirou no terrorista Wellington Menezes de Oliveira, 24, que na manhã desta quinta-feira 07, cometeu um suposto suicídio, depois de invadir uma escola no Rio de Janeiro e assassinar a tiros 11 crianças e ferir outras 18 dentro de uma escola.

Louvável ou não a “ação desses “guardiões dos D.H”, em prol de uma sociedade mais justa e humanitária, quando todo bandido tem e deve ser levado ao banco dos réus, resta saber e questionar, quão desses ativistas ou seus familiares ou amigos, ficaram sob a mira de um bandido ou foram violentamente estuprados?

Quantos pais e mães agora choram a perda do filho (a) e que ao invés de amanhã os acorderam para manda-los ao colégio, vão depertar para a triste realidade de ter que enterrar quem mais amavam?

Quantos outros pais e mãe atônitos pelo Brasil e no mundo inteiro, assistiram estarrecidos á macabra cena pela Tvê, se imaginando no lugar dos das vítimas e pensando que nossos filhos não estão tão protegidos quanto imaginamos?

Questionamentos a parte, o mundo e principalmente as nossas leis precisam ser repensados imediatamente. Quantos Wellington´s, anonimamente convivem e circulam em nosso meio?

Não sou estúpido e muito menos tenho a pretensão de ser Deus, mas a meu ver, a sociedade caminha a passos de ganso para um abismo sem fim num caminho sem volta. Nos sentimos impotentes anti a barbárie cometida. Sem alternativa, resta-nos apenas a esperança de que na próxima esquina não vai ser a nossa vez ou a de um de nossos filhos.

Quem acredita em Deus... reze, Ore, faça o que quiserem!!! Só não cruzem os braços ou fiquem de olhos vendados como a nossa estátua que representa as nossas Leis, que na maioria protege o bandido no lugar do cidadão comum que só quer viver em paz e livre do medo.

Salomão Matos


Nenhum comentário:

Postar um comentário