6 de set de 2009

É A CRISE...NÃO VERGONHA NA CARA VIU?

A Federação do Comércio do Estado do Acre – FECOMERCIO/AC, no período de 11 a 21 de agosto de 2009, realizou pesquisa na Cidade de Rio Branco/AC, com o objetivo de avaliar a capacidade de liquidez do consumidor acreano. A amostra pesquisada é constituída de 217 pessoas.

Nesta pesquisa é analisado o contexto da liquidez no mercado consumidor de varejo, considerando ser este o termômetro do potencial de negócios para as empresas do setor. Desta forma, uma avaliação dos níveis de emprego e renda da economia, induz à comunidade empresarial a critérios mais eficientes e efetivos para a decisão de concessão de limites de créditos a seus clientes.

A pesquisa foi realizada junto ao comércio de varejo do mercado de Rio Branco/AC, tendo em vista representar o ambiente de concentração do maior índice de contribuintes de ICMS, assim como, 46% da população do Estado, segundo o IBGE.
Da população pesquisada, 55% são pessoas do sexo feminino e 45%, do sexo masculino. Proporção esta, observada em sondagem da espécie realizada no mês de abril do corrente ano, quando a análise concluiu em 58% e 42%, respectivamente

Convém observar que 70% da população contatada têm idades entre 18 a 36 anos, igualmente como na pesquisa do mês de abril p.p. Desta parcela, 45,7% são do sexo masculino e 54,3% do sexo feminino. Das pessoas na faixa etária em destaque, 83% têm graus de instruções entre o ensino médio à graduação superior, completos

Renda familiar do acreano

O resultado da pesquisa demonstra que 51% da população do Acre sobrevivem com renda média ente 01 a 05 salários mínimos mensais e 79%, com renda familiar entre 01 a 10 salários/mês. A pesquisa observa, ainda, que 6% sobrevivem com renda inferior a 01 salário mínimo e 8% com renda acima de 10 salários mínimos

Ocupação econômica do consumidor acreano

Os dados pesquisados demonstram que 27% população ocupada, trabalham com registro em carteira, e 19%, sob regime jurídico único - funcionários públicos. Convém o destaque para informação de 29% que dizem desenvolver atividades remuneradas por conta própria


Situação do acreano frente às dívidas contraídas

Os dados levantados apontam que 75% dos acreanos não conseguem liquidar suas dívidas no vencimento, e apenas 24% tem conseguido poupar algum dinheiro neste ano de 2009

Orçamento familiar

Com base nos dados levantados, 44% dos consumidores ouvidos desenvolvem alguma forma de planejamento para a utilização da renda familiar. Outros 55% não se preocupam com essa prática

Consumidor com contas atrasadas

A liquidez do mercado de consumo assegura ao empreendedor do comércio a confiança quanto ao alcance dos resultados esperados. No entanto, os dados desta pesquisa demonstram que 46% dos consumidores acreano têm dívidas em atraso. Dessas 56,4% são do sexo feminino

Da população com atrasos no pagamento de dívidas, 48% são responsáveis por inadimplências de até 30 dias (no mês de abril alcançou 74%). Desta população, 56,3% são do sexo feminino

Implicantes para inadimplência do consumidor acreano

Quanto às circunstâncias para falta de pagamentos por parte do consumidor acreano, 53% dos ouvidos, dizem não manter controles sobre suas dívidas. Outros 23% justificam haver sofrido redução de renda frente àquela auferida à época em que contraiu a obrigação e 14% debitam à situação de desempregado

Consumidor com dívida nova nos últimos 12 meses

Conforme a pesquisa, 84% dos consumidores do Acre respondem por dívidas contraídas nos últimos 12 meses. Desses, 56% são do sexo feminino e 44% do sexo masculino – em abril eram 57% do sexo feminino e 43% do masculino

Considerações finais.

A evolução da capacidade instalada do comércio acreano representa o motivo da avaliação periódica da principal variável de aquecimento do mercado do comércio organizado. Assim, a preocupação em demonstrar até que ponto a liquidez do consumidor se apresenta compatível para a solidez do comércio local se faz necessária, notadamente, em momento de dúvidas quanto ao comportamento da economia.

Com o presente trabalho, a FECOMERCIO/AC procura levantar discussão sobre a necessidade de mecanismos modernos para o aperfeiçoamento de políticas de créditos, haja vista que o consumidor acreano convive com pouca perspectiva de sobras de dinheiro para fazer frente a obrigações financeiras.
A falta de políticas para o fortalecimento do mercado de consumo possibilita agravamento da liquidez do mercado. A oferta do crédito fácil e rápido induz o consumidor a se envolver com elevados níveis de custos financeiros, dentre outros aspectos que podem ser avaliados.

Tá bom pra tú chicóóó? Ops... Binho

Nenhum comentário:

Postar um comentário