16 de mar de 2011

Onde estão nossos vereadores?


Pontos de ônibus são construídos a peso de ouro em Rio Branco-AC

R$ 8 mil reais foi quanto custou cada parada de ônibus medindo 1m/2m no Mocinha Magalhães
Francisco Lima "com certeza houve favorecimento na licitação e superfaturamento"
O presidente da Associação de Moradores do Bairro Mocinha Magalhães, Francisco Lima de Melo, vem denunciando superfaturamento pela prefeitura de Rio Branco-AC, na construção de 10 pontos de ônibus, na comunidade no mês passado.

Segundo Lima, foi realizado uma reunião com todos os presidentes de bairros da capital no início do ano, onde foi apresentado projetos, para que fossem feitos antes do período das chuva, novos pontos de ônibus para os usuários dos transportes coletivos.

No entanto diz ele, ficou acordado que R$ 1,8 mi do Programa de Gestão Participativa-PGP, fossem distribuídos entre as 150 associações de moradores, contudo, "o dinheiro foi gasto com abrigos que medem 1m/2m e não protegem as pessoas do sol e muito menos da chuva e que o custo dessas paradas de ônibus foi licitado acima do preço de mercado”.

Segundo Lima, “o dinheiro de cada parada dessas ai  que vocês podem filmar custou aos cofres do município R$ 8 mil cada. Quando chove, mesmo quem fica de pé encima do banco se molha todo de tão pequeno que são esses pontos de ônibus. Com esse dinheiro daria para construir até uma casa pequena em madeira”, denuncia.

O estudante Kalisson Moreira, que mora na comunidade, confirma e diz que sempre carrega consigo um guarda-chuva e mesmo debaixo dos pontos de ônibus quando chove, diz que  fica toda molhado. “Não adianta de nada mesmo esses pontos de ônibus. Aliás só serve mesmo para indicar que é uma parada de ônibus, porque proteger de sol e chuva necas de pitibiriba”, lamenta.

Lima diz ainda, que pessoalmente fez um levantamento de preço da madeira e mão de obra nas serrarias e madeireiras da capital e para sua surpresa, o custo final, nos mesmos moudes e a mesma qualidade da madeira utilizada na construção dos abrigos, ficou em torno de somente R$ 1.200,00, ou seja R$ 6.800,00 a menos do que foi licitado.

Para ele, “não resta dúvida nenhuma que houve sim favorecimento na licitação e superfturamento e alguem saiu lucrando e muito com esse tipo de obra para grego ver. Eu vou levar esse caso ao conhecimento dos nossos vereadores para saber se alguma providencia pode ser tomada”, afirma.

Procurado pela reportagem, na prefeitura ninguêm na sede daquele poder, soube informar quem eram os responsáveis pela construção das paradas de ônibus, para falar sobre o assunto.

Salomão Matos

Nenhum comentário:

Postar um comentário