22 de mar de 2011

Utopia

A lei e a comoção popular por uma mídia corrupta em um estado de faz de conta

Em meus dezessete anos de profissão, definitivamente chego a conclusão de que, a maioria das leis no Brasil só funcionam na base da comoção popular intermediada pela mídia no país, dando a sensação á sociedade de insegurança, impunidade e que tudo e todos os crimes não fossem pela mão da velocidade da informação, nada sairia do papel e os responsáveis por fazer valer essas pseudos leis constitituidas, jamais tirariam as suas bundas de seus confortáveis gabinetes com ar refrigedado.

Agora mais uma vez no sul do país, (pautados), grupos do Ministério Público Federal, peritos do Instituto Nacional de Criminalística, da Polícia Federal, profissionais e consultores da Secretaria de Direitos Humanos e até mesmo da Presidência da República, na tentativa de fazer um faz de conta que “desejam elucidar crimes do passado”, realizam buscas de restos mortais das vítimas e ex combatentes da ditadura, enquanto crimes recém praticados, são literalmente jogados para debaixo do tapete, em sua grande maioria.

Digo aqui mais perto de nós, “na terra de muro baixo” em comparação o caso do menino Fabrício Augusto de 16 anos, onde a família sofre até hoje e mesmo depois de um ano do seu assassinato, seis criminosos confessos presos, a policia jamais deu qualquer satisfação plausível á família ou á sociedade em geral, limitando-se em dizer que o caso foi elucidado, mesmo sem ter a mínima noção do paradeiro do corpo do garoto.

Discursos para grego ver e ouvir, é bem o que tem feito a Frente Popular, em seus 12 anos de governo no Acre. Com a maioria da imprensa local comprada no estado, aplaudindo em notas sensacionalistas e em suas manchetes contando maravilhas de “um estado de primeiro mundo”, o povo vai sofrendo, porque o papel de quem deveria bem informar, vem sendo substituído por míseros trocados no fim de cada mês, em forma de salário e de calar as suas dignidades em quanto poderiam ser formadores de opinião, como bem foram ensinados nas escolas ou nos bancos das redações.

Vangloriando-se de ter colocado um fim no famigerado Esquadrão da Morte no Acre e de pagar o salários de seus servidores públicos em dia (o que não é mais que a obrigação), a FPA, não conta, que todos os acusados á época estão soltos, restando apenas um ex coronel da PM, combalido pela doença que o consume e a loucura que o atormenta, numa tentativa desesperadora de provar que “os crimes imputados á ele” não passam de uma armação política e dos próprios juízes, que foram denunciados pelo “Chefe do Esquadrão” de aumentar indevidamente os seus salários em mais de 40% e que para silenciá-lo o colocaram atrás das grades.

Pelo que toca os servidores públicos, e seus parcos salários, o que vemos é um amontoado de devedores de Bancos, que a cada dia faz engrossar a lista negra dos serviços de proteção ao crédito e sem representatividade sindical, assim como bem disse no parágrafo anterior, (como a maioria dos jornalistas), estão nas mesmas mãos de quem governa esse estado e ainda teimam em dizer, que aqui é o melhor lugar para se viver. Vocês acreditam em contos de fada? Eu não.

Salomão Matos É acreano, Repórter, ex produtor e Chefe de Reportagem da afiliada da  Globo no Acre, atualmente escrevendo no site ac24horas e neste humilde blog da verdade

Nenhum comentário:

Postar um comentário